Embratur discute ações para minimizar impactos da covid-19

Participaram do encontro digital, presidentes de Conventions Bureaus de todo território nacional, executivos e atores do setor turístico

Governo Federal
Gilson Machado, ministro do Turismo

Nesta quarta-feira (6), Gilson Machado Neto, presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) discutiu as ações implementadas para minimizar os impactos do Covi-19 (novo coronavírus) no setor. Além disso, o executivo frisou suas preocupações quanto aos danos.

“Eu tenho me preocupado muito com as companhias aéreas, pois elas estão no limite de suas operações e de realizar demissões em massa. A primeira coisa que eu preciso que vocês prefeitos e governadores façam é não cercear o direito de ir e vir da população porque têm pessoas que precisam sair para resolver assuntos inadiáveis”, pontua o presidente da Embratur.

Segundo Gilson, as aéreas estão operando com 8% da capacidade. O executivo ressaltou também os impactos da MP905, o trabalho conjunto com os Conventions Bureaus e ações de promoção do turismo nacional.

“A nossa cultura tem que ser valorizada e vamos ter que otimizar cada real que tivermos. Teremos que fazer milagre com a verba e precisaremos da parceria entre o setor público e privado. Acho que vamos sair bem dessa Covid-19 e vamos fazer o nosso país ser acreditado por ter uma organização médica”, enfatiza.

Sobre os desafios para a reestruturação do Turismo tanto pelo restabelecimento da atividade quanto pela imagem do país, Gilson pontua: “A briga pelo turismo nacional vai ser briga de cachorro grande. Precisamos valorizar o nosso produto e lutar pelo país”, ressalta.  


Deixe uma resposta