Embratur fortalece Brasil como destino turístico de luxo

Por: Chris Flores

O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) iniciou na cidade de Nova York (EUA) na última semana, o roadshow voltado para o segmento de turismo de luxo, em parceria com a Brazilian Luxury Travel Association (BLTA). A ação faz parte do programa de apoio à comercialização da Embratur conhecido como “Clube de Produtos”. O objetivo do Instituto é aumentar o conhecimento de destinos brasileiros por parte dos agentes e operadores americanos e mídia especializada, além da ampliação da entrada de turistas e divisas, fortalecendo o Brasil como destino turístico no segmento.

 

O eventou contou com a presenca de dez empresas associadas à BLTA que levaram produtos brasileiros especializados no segmento para cerca de 80 buyers (compradores) americanos, entre entre agentes de viagem, operadores e imprensa. O mesmo evento no ano passado contou com a presenca de 30 buyers.

 

Hoje, dia 22, o evento será na cidade de São Francisco, onde são esperados 30 buyers americanos e, por último, no próximo dia 25, passará por Los Angeles, que espera receber 60 buyers americanos.

 

“O segmento vem crescendo visivelmente nos últimos anos e o Brasil ocupa a quarta posição na lista de maiores mercados receptores do Turismo de Luxo. Segundo dados  da ITB Berlim e IPK International, o nicho de consumo do segmento foi o que mais cresceu nos últimos cinco anos, com aumento de 48%”, destacou o presidente da Embratur, Vinicius Lummertz.

 

Na oportunidade, o coordenador de acompanhamento e estruturação de produtos, Rafael Felismino, abriu o evento fazendo um panorama sobre o mercado de luxo no Brasil e o crescimento das viagens de luxo no mundo. Em seguida, a diretora executiva da BLTA, Simone Scorsatto, fez uma apresentacão sobre os produtos ofertados pela Associacão. Logo após as apresentações, os buyers americanos iniciaram a rodada de negócios junto aos associados brasileiros. O evento contou também com o executivo do Escritório Brasileiro de Turismo (EBT) para o mercado norte-ameriano, Miguel Jerônimo.

 

Foram aplicados questionários tanto para os buyers americanos como para os suppliers brasileiros (empresas associadas) com a intencão de mensurar resultados para o evento em expectativa de geracão de negócios. “Aos buyers, a intencão é também mapear o segmento neste mercado e entender quem vende os produtos brasileiros, quem não vende e porque nao vende”, explicou Felismino.  

 

Informações: www.embratur.gov.br

 

 

 

CF

Deixe uma resposta