Embratur participa do Sindepat Summit e frisa desburocratização

Em congresso internacional, Gilson Machado Neto, da Embratur, afirmou que o momento é único e deve ser aproveitado para desburocratizar o setor

0
O presidente da Embratur entre as forças políticas e executivos do Sindepat presentes no Summit (Foto - Divulgação)
O presidente da Embratur entre as forças políticas e executivos do Sindepat presentes no Summit (Foto - Divulgação)

A Embratur, através de Gilson Machado Neto, presidente do Instituto, esteve no Sindepat Summit, realizado em Brasília (DF), e debateu sobre a desburocratização do setor de parques temáticos e aquáticos no Brasil e uma agenda política mais proativa ao empreendedorismo, nesta quarta-feira (21).

O evento contou ainda com a participação do Vice-Governador do Distrito Federal, Paco Britto, Vanessa Mendonça, secretária de Turismo do Distrito Federal, deputados federais e diretores da Embratur. Expositores de 9 países também participaram do Summit.

“Desde os 9 anos escuto que o Brasil é o país do futuro, e agora temos uma oportunidade única agora que não podemos deixar passar.” – Gilson Machado neto (Embratur)

“Cargas tributárias elevadas impedem o avanço do turismo no país e lutamos todo o dia para melhorar as condições de trabalhos dos nossos empreendedores”, afirmou o presidente da Embratur ao público de investidores internacionais.


LEIA MAIS
+ Embratur pleiteia redução de taxas de embarcações; confira
+ Embratur visita o Tocantins e debate soluções para o turismo local
+ Embratur promove destinos brasileiros em roadshows na China

Segundo Murilo Paschoal, presidente do Sindepat, é vital que a Embratur continua defendendo uma agenda legislativa positiva, que fomente o investimento, atraia mais turistas e, consequentemente, gere mais empregos. “São medidas que tornarão nosso turismo mais ativo e menos burocrático”, defendeu.

Gilson Machado Neto explicou ainda que já debateu com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, a possibilidade da criação de uma Zona Franca nacional para os parques, no qual os empreendimentos contam com condições tarifárias diferenciadas.

“Olhe o exemplo de Orlando, nos Estados Unidos, que impulsionado por suas atrações já ultrapassou Nova Iorque em movimentação turística”, apontou o executivo.


Leia Também:
OMT reunirá lideranças no Global Summit no Cazaquistão em outubro
MTur reabre inscrições para curso gratuito de atendimento ao turista
Ministério do Turismo repassa R$ 34 milhões para mais de 300 cidades

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here