Equipotel discute retomada do turismo no Rio de Janeiro

O evento acontecerá entre os dias 27 a 30 de setembro com transmissão ao vivo via plataforma Zoom e Youtube

equipotel

Nesta terça-feira (27), a Equipotel discutiu a retomada do turismo do Rio de Janeiro, o associativismo e novas medidas para passar pela crise de covid-19. Segundo Marco Antonio Navega, Presidente na Federação de C&VB do RJ não há perspectiva para a realização do Natal, Ano Novo e carnaval do estado.

“Para quem não sabe, estamos falando de 4 bilhões e ocupação média de 75% na cidade do Rio de Janeiro. A necessidade do cancelamento de um evento desses tem um impacto grande no mercado”, aponta Gabriela Otto, Managing director da HSMAI Brasil e Sócia Diretora da Go Consultoria.

Em 2019, o Rio de Janeiro chegou a aproximadamente 6,8 milhões de visitantes, e em dois anos, segundo Navega, houve uma alta de mais de 400mil visitantes no país. Um dos fatores contribuintes foi a isenção de vistos para Canadá, Estados Unidos, Austrália e Japão

Conforme o turismo no estado está reaquecendo aos poucos por meio de viagens regionais, feitas em curta distância por transporte terrestre. Já sobre o setor hoteleiro, há algumas regiões operando com 35% da capacidade e outras chegando a 50%.“Grande parte da hotelaria brasileira é familiar e estão passando dificuldade, mas elas têm uma facilidade que as grandes redes não têm, que é o trabalho entre pai, filhos, esposa e marido, o que permite a continuação das operações”, pontua.

A parceria entre grandes marcas foi citada pelo executivo com o exemplo da conjunção dos empreendimentos Ibis e o Novotel. “A rede Accor está se reinventando. Eu não sei qual o resultado disso, mas uma forma de sobrevivência que o setor tá achando para passar por cima dessa crise”, exemplifica.

Dentro dessa ótica de sobrevivência, Navega destaca que o cenário de crise serviu para ressaltar o papel das associações e entidades do turismo em prol do fortalecimento do setor, e, que 75% do hotéis no estado estão em operação. “Hoje, temos 22 Conventions e Bureaus associados e em plena pandemia, fundamos dois CV&Bs, um em Arraial do Cabo e o outro em Santa Maria Madalena. Isso quer dizer que o empresariado quis se juntar para se defender e agora está fazendo negócio um com o outro. O Rio vai muito bem, obrigado! Nós temos uma parceria muito boa com a Secretaria de Turismo do Estado, com a Turisrio e agora, temos uma aproximação com o Ministério do Turismo e com a Embratur. Em breve, teremos novidades”, pontua.

De acordo com a pesquisa realizada pelo Sindicato de Bares e Restaurantes do Município do Rio de Janeiro (SindRio), 33% dos restaurantes não retomarão as operações, dado que contrapõe o crescimento dos empregos (330%) no turismo no Brasil em 2019.

Outro ponto abordado é a preparação da cidade do rio de Janeiro para os jogos olímpicos de 2016, que resultou na criação de hotéis, bares, restaurantes e outros equipamentos de lazer, reforçando a capacidade do destino para receber e entreter visitantes de lazer e MICE.

Navega pontua que em 2018, 110 milhões de pessoas viajaram de avião nacionalmente e 12 milhões no turismo internacional, dos quais 4 milhões são turistas internacionais com poder aquisitivo alto. “Esse é um exercício de resistência e acho que vamos levar dessa experiência, um legado e aprendizado profissional muito grande”, pontua Gabriela e Marco Antônio completa: “Nos estamos iniciando um grande mutirão que é a arte de trabalhar junto com o mesmo objetivo.


Deixe uma resposta