Ethiopian Airlines comemora cinco anos no Brasil com promoções e anuncia expansão

Luise Sanches e Marcelo Kaiser (Aviareps), Raphael de Lucca, Marcelly Rosa e Girum Abebe (Ethiopian)

Em 1º de junho de 2013, a Ethiopian Airlines estreava no mercado brasileiro com três voos semanais entre o aeroporto de Guarulhos (SP) e Addis Abeba, capital da Etiópia. A ligação inicial fazia escalas em Lomé, no Togo, e no aeroporto do Galeão (RJ).

Cinco anos depois, Girum Abebe, gerente regional da aérea para a América Latina, veio ao Brasil para comemorar o marco de 300 mil passageiros transportados na rota. “Acreditamos muito no mercado brasileiro”, afirmou Abebe, reforçando que a demanda crescente levou a companhia a trocar a aeronave que operava a rota. Para aumentar a capacidade a bordo, o Boeing 787 Dreamliner foi trocado pelo Boeing 777 que acomoda 284 passageiros na classe econômica e 28 na executiva.

Em 2014, a companhia parou de fazer a escala no Rio de Janeiro e, no ano seguinte, também cancelou a parada em Lomé – que acabou sendo retomada em 2016 para extinção definitiva em 2017. Há quatro meses, lançou a extensão do voo até Buenos Aires e, em 15 de junho, ampliou a frequência para diária.

Segundo Raphael de Lucca, gerente de vendas da Ethiopian Airlines no Brasil, a ocupação média varia entre 80% e 85% na rota São Paulo – Addis Abeba e chega a 60% na ligação entre o Brasil e a Argentina. Ele afirma ainda que o crescimento de vendas no mercado brasileiro chegou a 300% durante os cinco anos de operação regular. Entre 2017 e 2018, o crescimento registrado foi de 56%.

Em território nacional, a aérea etíope tem acordos de codeshare com Avianca (2016), Azul (2017) e Gol (2018). Os destinos mais procurados pelos brasileiros são China (Shangai e Guangzhou), Tailândia (Bangkok), Japão (Tóquio) e Índia (Delhi).

Números

Em termos globais, a companhia etíope transportou 8,8 milhões de passageiros entre 2016 e 2017, com receita de US$ 2,71 bilhões. A frota conta hoje com 101 aviões em serviço e 60 aeronaves encomendadas para os próximos anos. Todas, segundo de Lucca, têm menos de cinco anos de fabricação.

Um dos trunfos da Ethiopian Airlines é a promessa de rápidas conexões com África, Ásia e Oriente Médio. Atualmente, a companhia opera em 110 destinos internacionais e 26 domésticos, contando com um hub principal em Addis Abeba e dois hubs secundários em outros países africanos– Lomé, no Togo; e Lilongwe, no Malawi; garantem a distribuição para o cone sul e porção ocidental do continente africano.

Entre as novidades estão a recém-lançada ligação com Barcelona, na Espanha; e os novos voos para Jacarta, na Indonésia, que começa a operar neste mês de julho; e a ligação para Moscou, na Rússia, com escala em Istambul, na Turquia, que decola em novembro.

Visão 2025

O plano estratégico da companhia para os próximos anos inclui metas audaciosas que deverão ser cumpridas até 2025. A companhia pretende atingir o marco de 22 milhões de passageiros transportados, com receita de US$ 10 bilhões, entre voos comerciais e cargas.

“Nossa estratégia é incrementar as rotas existentes e trabalhar com cautela para criar uma base de ocupação e não depender da venda de último minuto, especialmente no Brasil. Porque não há como prever o que vai acontecer após as eleições”, explicou de Lucca.

Não existe uma meta específica para o Brasil, mas o crescimento demanda – reforçado pelo término das operações da Etihad e da Korean Airlines no País – e a ampliação do perfil de público deixam os executivos confortáveis com a evolução do mercado. “Fazemos um monitoramento diário do mercado junto com a matriz”, ressalvou de Lucca.

A frequência diária permitiu à companhia atingir segmentos que não eram totalmente atendidos com os três voos semanais. O mercado corporativo foi um dos exemplos citados pelo executivo. “Apostamos nisso para aumentar nosso campo de atuação”, completou.

Para atender à demanda crescente, a companhia estatal vem administrando um projeto de expansão de seu hub em Addis Abeba que será liberado em duas etapas. Em setembro será inaugurada a primeira fase que quadruplica a área de atendimento do aeroporto. A renovação total está marcada para janeiro de 2019, incluindo uma nova área para check in e a inauguração de um terminal de atendimento VIP.

Promoção

A companhia aérea etíope lançou tarifas promocionais para comemorar os cinco anos de operação regular na América do Sul. Voos em classe econômica entre São Paulo e Buenos Aires custam a partir de US$ 149 por passageiro. Para outros destinos, os descontos podem chegar a 25% sobre o valor da tarifa cheia. As ligações para Dubai e Pequim em classe econômica, por exemplo, saem desde US$ 934 e US$ 1.054, respectivamente. A promoção vale para compras até a próxima terça-feira, 10 de julho.

Os voos ET 506 partem de Adis Abeba diariamente às 9h30, pousam em Guarulhos (SP) às 16h15 e decolam para EZE às 18h10, com chegada à capital argentina às 19h40. Na volta, os voos ET 507, partem de EZE às 21h30, chegam em GRU às 00h00 (+1) e partem para Adis Abeba à 1h, pousando na capital etíope às 19h.

A aérea é representada no Brasil pela Aviareps.

Deixe uma resposta