Etihad inicia operação no Brasil em junho de 2013

Por: Carolina Maia

Dia 1º de junho de 2013 é a data escolhida pela Etihad Airways para iniciar suas operações na América do Sul, e o Brasil é o destino da companhia para o ingresso na região. Com nove anos no mercado, a empresa árabe iniciará a rota São Paulo-Abu Dhabi com três voos semanais, mas em julho do mesmo ano já irá transformar em frequência diária. “Este será nosso sexto continente atendido, o que também nos posiciona como uma empresa global. A maior companhia área do mundo chegou a cidade de vocês”, disse o presidente e CEO da Etihad Airways, James Hogan.

Atualmente a companhia conta com uma frota de cerca de 60 aviões, com diferentes categorias de aeronaves. Para o Brasil será colocado em operação o A340-600 que servirá o País com três classes – primeira (12 assentos), business (32) e econômica (248). “Nos próximos sete anos iremos acrescentar mais 100 aeronaves a nossa frota. Nossas aeronaves são as mais jovens do mercado, com média de 4,5 anos. Iremos ofertar 4,88 mil assentos por semana”, informou.

Com duração de 15 horas, o voo sairá de Abu Dhabi às 9h45 e chegará a São Paulo às 17h55. A volta, com uma hora a menos de duração, será com saída às 00h35 de Guarulhos e chegada às 20h20 nos Emirados. “Este é mais um elo entre Abu Dhabi e a América do Sul. Nosso primeiro destino aqui ne região e o quinto nas Américas. Irá reforçar ainda mais as relações entre Brasil e Emirados Árabes Unidos. O Brasil é o 17º parceiro dos Emirados gera anualmente US$ 2,85 bilhões em negócios, e nos próximos cinco anos deve chegar aos US$ 10 bi”, disse Hogan.

O executivo da Etihad Airways fez questão de ressaltar, em sua primeira visita ao Brasil, que esta conexão é vital e gera muito tráfego aéreo. “Temos crescido na Ásia também, e será positivo para estes destinos. A China é o maior parceiro comercial do Brasil, e o Japão o quinto, e em abril do ano que vem teremos voos diários para Tóquio, logo, quando começarmos nossas operações aqui esta conexão a mais estará disponível”, comentou.

Qualidade em servir

Entre os destaques das classes, Hogan fez questão de exaltar o fato que a primeira classe, assim como a companhia em si, foi vencedora por três anos seguidos a melhor na premiação Skytrax. “Nossa primeira classe, a diamond, conta com um chef a bordo disponível. A econômica é uma das mais modernas do mundo, nossa tela do televisor é do tamanho da de muitas primeiras classes de outras companhias. Contamos com 600 horas de entretenimento e também teremos títulos em português”, ressaltou.

Segundo o executivo, a tripulação da Etihad Airways também conta com brasileiros, e terá mais com o início das operações, cerca de 25 funcionários. “Nosso DNA é o lema de Abu Dhabi: respeito e hospitalidade. Nossos passageiros são tratados como nossos convidados. Algo muito especial está chegando ao Brasil. Enquanto muitos dizem uau ao entrar em uma boa aeronave, ao entrar nas nossas são no mínimo três uaus”, afirmou.

Apesar de ter autorização para voar no Brasil desde 2010, a companhia quis sentir o mercado. “É preciso ter uma rede equilibrada, temos só nove anos, e todos do meio sabem que nos três primeiros de uma companhia é de perdas, pois é quando se está estabelecendo a marca e se estabilizando no mercado. Precisávamos ter a certeza de conectividade para encher ao menos 78% do voo. Estamos investindo alto e esperamos lucrar em três anos de atuação”, explanou.

Sobre outros destinos na América do Sul, o presidente e CEO da Etihad Airways foi categórico: “Está nos planos outras cidades sul-americanas, mas se tivemos aeronave cheia, ai sim lançamos novas rotas”, disse. Já sobre codeshares aqui pelo Brasil, o executivo informou que irá ocorrer, mas que estão estudando, assim como qual sala VIP será utilizada no Aeroporto Internacional de Sâo Paulo/Guarulhos. “Entre 3 e 6 meses esperamos anunciar. Mas já temos 38 acordos de codeshare, e apesar de não sermos membros de nenhuma aliança áerea, já que não acreditamos nesta alianças, elas beneficiam apenas as grandes, muitas das nossas parceiras são membros”, complementou.

Entre novembro e fevereiro a companhia irá se firmar no Brasil, inclusive com a abertura de um escritório e a formatação de um site em português. Quanto a relação com o trade, a Etihad Airways espera ter um bom relacionamento com as operadoras e agências de viagem, já que mundialmente as agências representam 86% das vendas da companhia, incluindo as empresas on-line.

Carolina Maia

Deixe uma resposta