Eventos testes demonstram como aplicar segurança e impactos positivos

Em palestra promovida pelo Expo + Fórum, a Unedestinos apresentou um case de treinamento de eventos, que visa demostrar que realizar eventos pode ser seguro

Eventos testes

Durante o Expo + Fórum Virtual de Turismo Global, a União Nacional de CVBx e Entidades de Destinos (Unedestinos) apresentou um case de treinamento de aplicação de protocolos de distanciamentos social para o setor de eventos, chamado Novos Tempo, Novos Eventos, desenvolvido pela Vaniza Schuler Consultoria, consultora técnica da Unedestinos. A conversa contou com a presença de Toni Sando, presidente da Unesdestinos, e Vaniza Schuler, sócia gerente da Vaniza Schuler Consultoria.

O treinamento consiste na simulação de diferentes perfis de eventos para a aplicação prática dos protocolos sanitários de prevenção do covid-19. De acordo com Vaniza, este tipo de ação se faz necessária, visto que muito se questiona sobre a realização de diferentes modais do segmento e que é preciso entender como os eventos vão funcionar na prática.

“O que a gente não consegue treinar é a logística dos eventos, ou seja, o deslocamento das pessoas e o comportamento dos participantes. Mesmo dentro do setor de eventos, a gente percebeu que nesse contexto todo é difícil de controlar o comportamento das pessoas”, afirma Vaniza.

A profissional ainda destaca que o setor é muito injustiçado e que o segmento apresenta um cenário mais seguro que muitas atividades abertas ao público. “Para outros setores, o fator determinante é a capacidade. Em um supermercado, eu tenho certeza que não circula somente de 100 a 300 pessoas. Isso deve ser só de funcionários. Então por quê um shopping é mensurado pela sua capacidade e nós somos mensurados pelo número de participantes? Tudo isso pode ser resolvido com logística. Os treinamentos surgiram como uma forma de provar que os eventos são um ambiente seguro”, destaca.

Mas qual a importância deste treinamento ao mercado? De acordo com Vaniza, os motivos são:

  • Proporcionar maior conhecimento da dinâmica do setor e das diferenças dos perfis de eventos
  • Questionar os critérios diferenciados dos eventos em relação às demais atividades, no caso, o número de participantes
  • Aliviar a resistência da comunidade, da mídia e das autoridades quanto aos eventos como causadores de aglomerações
  • Criar segurança nos contraentes, incluindo promotores e patrocinadores

Além disso, o setor se beneficia por capacitar os profissionais de eventos, praticar os protocolos sanitários, identificar ajustes e melhorias, definir padronização, documentar os processos e, sobretudo, motivar a indústria.

Vaniza deixa claro que a meta é demonstrar ao governo o impacto positivo. Por isso, os eventos testes que foram realizados começaram do interior até chegar na capital, onde há maior resistência. Bento Gonçalves sediou feiras e negócios. Gramado, por sua vez, foi responsável por eventos sociais, culturais e festivais. Em Porto Alegre houve congressos e espetáculos. Confira como funcionou o calendário de planejamento:

Eventos testes

“Todos somos responsáveis pela nossa vida e pela vida do próximo. Por isso, é importante que retornemos os eventos de forma segura e organizada. É uma demonstração clara que tudo pode acontecer novamente. Não precisamos de um novo mundo, já estamos em um novo mundo. Precisamos é saber como enfrentar os desafios com segurança e otimismo”, declara Sando.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui