Expo + Fórum: Segurança e viagens de incentivo são impulsos do setor

expo+fórum de turismo global

Nesta segunda-feira (14), iniciou o Expo + Fórum Virtual de Turismo Global realizado pela Associação Latino-americana de Conventions e Bureaus em parceria com o Internacional BVTS Group. O evento acontecerá até a próxima sexta-feira (18) com transmissões do México.

Biossegurança

Dentre os temas discutido no primeiro dia, Adolfo Reyes e Roxana Puente do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC da sigla em inglês), abordaram a biossegurança, pauta em destaque devido ao surgimento e desdobramentos da pandemia de covid-19.

Os representantes da entidade na Espanha (Adolfo) e America Latina e Caribe (Roxana), ressaltaram o trabalho conjunto com destinos e países na criação de protocolos e diretrizes que permitam a reabertura comercial com segurança, a fim de promover o reestabelecer as economias locais e reestruturar o Turismo.

As estratégias delimitadas, segundo Adolfo, foram pensadas para englobar a facilidade de viagens, segurança, gestão de crise e sustentabilidade. Os executivos ressaltaram ainda que a colaboração entre os setores privado e público é importante a recuperação mais rápida do setor.

Adolfo pontuou que o WTTC está monitorando as atividades dos países, os quais recebem orientações sobre os impactos de suas ações, como o estabelecimento de quarentena na entrada aos países ou restrição de nacionalidades.

Outros pontos relatados referem-se ao uso de selos de conformidade no combate à covid-19 e incentivos fiscais governamentais, além de políticas de proteção de empregos. O painel reforçou a visão mercadológica a respeito da recuperação da demanda, a qual prevê o retorno interno e regional, e só posteriormente, com viagens para fora do país. Com a campanha #Wear2care, o WTTC reforça a necessidade de proteção contra a covid-19, além de exercitar a empatia com o outro.

Melhores cidades

O painel “ A experiência das melhores cidades e outros destinos globais” com fala de Paul Vallee, consultor executivo da Gaining Edge para America e Mike Williams, consultor sênior da GainingEdge para a Austrália teve mediação de Graziela Padoin, consultora da Associação de CVBs da América Latina.

A discussão girou em torno do trabalho conjunto de entidades públicas e privadas da indústria turística, além da apresentação de casos de sucesso em destinos considerados modelos diante da crise imposta pela covid-19. Dentre os pontos abordados, destacam-se ainda, a implementação de novas tecnologias, a capacitação profissional de pessoas em diferentes níveis de carreira e a sustentabilidade.

“Em tempos como esse requerem novos meios de fazer negócios. A oportunidade que temos adiante é de trabalharmos juntos e criar algo inovador”, declara Paul Valee. Mike completou dizendo: “Outro conceito que quero abordar é a competição, que é boa para o mercado, pois o faz evoluir”, afirma.

Viagens de Incentivo

“Programas de Motivação e Viagens de Incentivo como Impulsionadores da Economia Turística” foi um dos temas apresentados nesta segunda (14). O debate contou com a presença de Fernando Compean, presidente da Site Capítulo México e diretor geral do Meetings & Events Institute; e Alejandro Verzoub, presidente da AV Business.

Segundo Verzoub, é importante destacar que as viagens de incentivo não começam quando o passageiro está com o bilhete aéreo emitido, mas muito antes, na estratégia de campanha de motivação da empresa, pensadas para funcionários, fornecedores e clientes.

As viagens tem como impacto principal a menor rotação de equipe, com uma média 65% do resultado. Aumento no lucro (22%) e fidelidade dos clientes (10%) também são consequências do modal.

“Os programas motivacionais servem pra disparar as economias das empresas, para que os contemplados estejam mais motivados. São verdadeiros disparadores de vendas, de qualidade, de lealdade e de equipe mais motivada e comprometida”, destaca Verzoub, que observa que esses programas motivacionais são mais necessários no atual momento do que nunca.

Mas como funciona? É necessário estabelecer objetivos acima da média, sejam elas de vendas, aspiracionais e motivacionais. E Verzoub chama atenção que experiências tendem a ser uma forma de recompensa mais atrativa que dinheiro ou algum tipo de presente ou brinde. Quanto aos clientes, as vantagens ainda incluem menor investimento em marketing e vendas e Retorno Sobre o Investimento (ROI) significativamente notável.

O conhecimento é um fator essencial para o modal. De acordo com Compean, é necessário conhecer aqueles que serão contemplados pelas viagens de incentivo e sempre estar informado sobre os destinos. O profissional também chama atenção para o investimento que é feito, que fica em média de US$ 8 mil por pessoa.

“Se comparado com outros tipos de bonificações, vale a pena. É uma forma de oferecer experiência. E o planejamento pode ser feito em um curto período de tempo e com resultados que serão apresentado em curto ou médio prazo”, ressalta Compean.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui