Falta de posicionamento

0

Luxo é a proposta do Southern Ocean Lodge, em Kangaroo Island, no sudoeste de Adelaide (Austrália)

Por Christina Kler*

Existem pelo mundo alguns destinos que tentam se posicionar no turismo de luxo, sem conhecer os reais fundamentos desse segmento. Simplesmente construir e inaugurar propriedades com arquitetura diferenciada não torna uma cidade ou um lugar preparado para receber clientes que chegam a dar a volta ao mundo, sem mesurar seus gastos.

Esse nicho faz parte de uma grande cadeia de produção que engloba um sem número de detalhes necessários para que algo seja “um luxo”, de fato. Existem duas partes importantes e que dão a real dimensão de um produto luxuoso no turismo: a produção do serviço (dimensão imaterial) e a materialidade do suporte que irá acolher (dimensão tangível).

Acredito que a receita do turismo de luxo hoje seja encontrar o equilíbrio entre máxima qualidade, serviços personalizados e segurança absoluta.  E, o mais importante, a produção destes serviços está baseada em uma presença significativa de pessoal experiente e com alto nível de qualificação.

Em algumas viagens que fiz pude ter contato com esse tipo de luxo absoluto: um hotel numa localização perfeita, com uma decoração rica em detalhes especiais que transmite a personalidade do destino e aquela atenção que leva você a pensar que estão adivinhando seus pensamentos.  Há investimento em suporte – que pode ser desde um guest house, uma vila, um grande hotel com muitos quartos, uma pequena propriedade butique ou até um castelo – mas também uma grande preocupação com o treinamento do pessoal que fornece os serviços.

Muitos lugares únicos em países como o Brasil, por exemplo, poderiam participar do turismo de luxo. Mas, infelizmente, ainda não estão inseridos porque não conseguem oferecer as condições necessárias e imprescindíveis. Não se faz o investimento adequado para instalar um sistema de produção dos serviços voltados para o âmbito desse segmento.

Em termos de turismo de luxo, posso comparar o Brasil com a Austrália, mas é impressionante o quanto o país da Oceania está anos luz à nossa frente. Gosto de mencionar dois exemplos de viagens de luxo repletas de experiências inesquecíveis que vêm de lá. A primeira é a Kangaroo Island, localizada no sudoeste de Adelaide, uma ilha de linda vegetação e vida selvagem abundante. Ali, os visitantes poderão se encantar com cangurus, coalas, focas e muito mais. O toque de glamour fica por conta da estada no Southern Ocean Lodge, do grupo Luxury Lodges of Australia. Um luxo íntimo e sofisticado.

Outra viagem imperdível é Ayers Rock. A melhor época para visitar é durante a primavera, quando o deserto vira um tapete de flores. À noite, as estrelas podem ser vistas como em nenhum outro lugar do Longitude 131º, outra propriedade Luxury Lodges of Australia, com tendas que parecem brotar do chão.

O Brasil ainda precisa se estruturar para atender a uma demanda interna de passageiros desse segmento que viaja para fora, pois não encontra opções por aqui. E como existem lugares lindos nesse País esperando por investimento e treinamento…

* Executiva focada em desenvolvimento de negócios

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here