Fecomercio SP: Turismo nacional registra queda acima de 50% em julho

De acordo com levantamento realizado pelo Fecomercio SP, setembro tende a mostrar melhores resultados frente aos meses anteriores

fecomerciosp

De acordo com levantamento do Conselho de Turismo da Fecomercio SP, com base em números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o turismo nacional sofreu queda de 50,3% no faturamento em julho, se comparado ao mesmo período do ano passado, totalizando R$ 7,2 bilhões, ou seja, R$ 7,3 bilhões a menos do que em 2019. A previsão é que os resultados melhores a partir deste mês.

Segundo a federação, o transporte aéreo segue como o mais impactado, com queda anual de 78,1% em julho e perda de 46,7% no acumulado do ano. Os dados convergem com os últimos números divulgados pela Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), que indicou decréscimo de 76,3% na oferta de assentos e de 78,9% na demanda, em julho.

Previsões a curto prazo

A previsão é que agosto apresente um cenário similar aos anteriores e que uma melhora venha a ocorrer em setembro. O turismo nacional demonstra sinais de recuperação em decorrência dos feriados nacionais, como o Dia da Independência do Brasil, comemorado no último dia 7. Este é observado como ponto de partida para recuperação do setor e ânimo para o próximo feriado, celebrado no dia 12 de outubro.

A federação ainda aconselha que, com a tendência de retomada da demanda, embora algumas cidades e estados tenham antecipado os feriados, os empresários devem deixar claro aos consumidores as condições de cancelamento, para que tomem a decisão correta na compra, evitando, assim, riscos desnecessários.

Fecomercio SP: dicas aos empresários

A Fecomercio SP também aproveitou o momento para deixar algumas dicas para os empresários em meio a este processo de retomada. Confira:

  • Demanda por viagens de curta distância está crescendo, visto que muitos estão cansados de ficar em casa e, por isso, buscam viagens rápidas para ter mais espaço e lazer. Chamado de Turismo de Isolamento, a tendência se mostra uma oportunidade para empresas de locação de veículos, transporte rodoviário, bem como outros setores de hospedagem e alimentos e bebidas.
  • Parcerias locais aumentam a possibilidade de o estabelecimento oferecer preços mais acessíveis. Neste momento, não adianta pensar somente no próprio negócio, mas em toda cadeia, para que mais recursos possam circular e, com isso, contribuir para a geração de emprego e distribuição de renda.
  • Os empresários devem se aproximar cada vez mais dos seus clientes por meio das redes sociais, a fim de apresentar as possibilidades de se realizar um turismo seguro. É importante informar as medidas sanitárias realizadas e os serviços disponíveis.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui