Feliz Ano Novo, mas que seja novo mesmo!

0
Foto: Divulgação

Além de dirigir a Promonde e dar aulas, tenho outra ocupação na vida: sou astrólogo.

Ao contrário do que muita gente pensa, astrologia não é um oráculo baseado em fatos subjetivos. Exige anos de estudo e prática. Para resumir bem, durante muito tempo o homo sapiens olhou para o céu em busca de respostas e identificou alguns padrões celestiais. Sempre que um astro (Sol, Lua ou outro planeta visível a olho nu) estava em uma posição ou fazia determinado ângulo com outro corpo celeste, havia grande possibilidade de um fato acontecer. Repetição de padrão. Simples assim. Só que o período de observação é de mais de  3 mil anos.

No entanto, a astrologia não é determinista, ela mostra oportunidades de ações e possibilidades de conflitos. O indivíduo esperto apenas aproveita certos momentos para agir, assegurando menos tensão e melhor condições. Mas a construção do futuro depende essencialmente de cada um. E assim se dá no mercado.

2018 se apresenta diante de nós com uma série de barreiras e muitas oportunidades. Basta saber entender o cenário e agir de maneira determinada e prática. Ano de eleição presidencial no Brasil e o mercado financeiro poderá, no segundo semestre, apresentar flutuações de acordo com as pesquisas eleitorais. E isso terá impacto no dólar. Ou seja, no turismo. O cenário político é nebuloso, ou seja, atenção com as taxas cambiais no segundo semestre.

Trata-se de um ano que apresenta boas perspectivas de crescimento quando comparado aos trágicos anos anteriores e em que mais gente poderá estar empregada. Mais otimismo sempre leva a mais consumo. Muito possivelmente crescimento modesto, mas crescimento.

Cuidado com a Copa. Não adianta avisar porque sempre tem gente que quebra com o Mundial de Futebol, mas não custa tentar. Atenção redobrada com ingressos falsos, ainda mais pensando na Russia.

Ânimos acirrados nas redes sociais exige cautela na comunicação. Não vale a pena comprar briga com fatias do mercado, como fez, de forma irresponsável e burra, os supermercados Hirota, que distribuiu uma cartilha, escrita por um pastor, se indispondo com clientes LGBTT e demais fatias progressistas da sociedade. Não ganhou nada. Só perdeu.  Olhe com atenção o movimento se sua marca no universo digital. Busque comunicar mensagens otimistas, promoções segmentadas e no timing certo e evite temas polêmicos, sobretudo na política.

Ano de rever custos. Não seja como muita gente no mercado que se recusa a negociar com fornecedores e até se abrir para novos prestadores de serviços. Lembre-se que a única variável em que o empresário tem total controle no negócio é a gestão de custos. Não se feche, tampouco, a parcerias com marcas correlatas. Hora de somar forças. Comece também a investir mais nos talentos de sua empresa. Se os anos anteriores exigiram sacrifícios das equipes, agora é hora de motivá-las.

Pense antecipadamente como será sua participação nos grandes eventos de turismo. Aja com propósito, foco e de forma inovadora. E antes de criar um evento seu, veja se não dá para melhorar a participação em uma plataforma já existente. Se não for possível, contrate inteligências que façam o orçamento de comunicação e marketing de sua empresa valer a pena.

Trata-se de um ano, mais do que qualquer outro ano recente, que boa gestão e investimentos corretos trarão excelentes resultados! Deixe de teimosia e inove. Não dá para conquistar algo novo, pensando e agindo de forma velha- atenção, não disse experiente.

Feliz ano, realmente, Novo.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here