Fernando de Noronha completa um mês sem casos da covid-19

As praias ainda seguem fechadas até o próximo dia 31. O prazo poderá ser antecipado a depender da avaliação do quadro epidemiológico na ilha

Fernando de Noronha, em Pernambuco.
Fernando de Noronha, em Pernambuco. Foto:Hans von Manteuffel

Nesta sexta-feira (22), Fernando de Noronha (PE) completa um mês sem casos positivos para covid-19. A administração local aproveita o momento para lançar a primeira etapa do estudo epidemiológico que vai avaliar a circulação do vírus no local.

“Com essa pesquisa vamos ter uma certa tranquilidade de entender se tem circulação viral em Fernando de Noronha, qual a condição dessa circulação, qual o percentual de pessoas acometidas e se teve alguma circulação viral silenciosa assintomática. E muito importante para garantir que a população está protegida e sem risco de adoecimento”, pontua Mozart Sales, especialista da Secretaria Estadual de Saúde.

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo, com a colaboração dos agentes comunitários, dos agentes de endemia e de integrantes das equipes de saúde da ilha, iniciaram o processo de visita às casas dos moradores, escolhidos aleatoriamente, para saber se aceitam, de forma voluntária, participar da pesquisa e realizar os exames.

Cerca de 900 pessoas da ilha participarão da pesquisa respondendo a um questionário que abrange aspectos socioeconômicos, clínicos e hábitos de prevenção à covid-19. Todos serão testados para a doença através de dois tipos de exames: o PCR em tempo real, que analisa secreções e o teste rápido, via coleta de sangue. Eles serão acompanhados e testados pela equipe durante o período de um ano.

“Estamos em uma luta incansável para tornar a ilha um lugar seguro, livre do coronavírus. Ao longo desse período temos nos esforçado na busca por soluções e apoio à comunidade. Tivemos que tomar algumas medidas duras, mas que foram necessárias para proteção de todos, que resultaram no sucesso de agora. Vamos continuar buscando, estudando e fazendo o possível para seguirmos dessa forma, para que possamos voltar à normalidade o quanto antes”, destaca Guilherme Rocha, administrador da Ilha.

Após o lockdown, Fernando de Noronha iniciou a flexibilização gradual de atividades. Os moradores já podem sair de suas casas sem portar documento de autorização para ir a supermercados, farmácias e padarias, desde que estejam fazendo o uso da máscara e respeitando o distanciamento entre pessoas. Foi autorizada também a prática de atividades físicas individuais, ou em dupla, desde que morem na mesma residência.

“É muito importante que seja informado qualquer sintoma gripal para que a gente faça a investigação epidemiológica. Principalmente porque existe a forma assintomática da doença. Então alguém pode ter tido a forma assintomática, que transmite para outra pessoa, que pode ter o sintoma característico, os sintomas gripais. Quanto antes a gente inicia a investigação epidemiológica e identifica esses casos o mais rápido, a gente consegue fazer o bloqueio e isolamento para que o vírus não se propague de uma pessoa para outra”, afirma Fernando Magalhães, superintendente de Saúde da ilha.

Outra medida essencial contra a disseminação do vírus em Noronha foi o fechamento total do aeroporto. “Estamos na reta final. É importante que todos continuem respeitando as determinações das autoridades de saúde para que possamos sair o mais rápido possível dessa pandemia, que infelizmente está acabando o mundo. O mais importante nesse momento é a gente ter equilíbrio para poder vencer esse período. Espero que todos se unam nesse sentido”, disse o presidente do Conselho Distrital, Milton Luna.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui