Floripa Convention lança segunda etapa do manifesto em prol dos eventos

O Floripa Convetion e Região propõem um calendário baseado em estudos realizados pela entidade e parceiros do trade, com foco na retomada com segurança

Floripa Convention

O Floripa Convention e Região é uma entidade formada por empresas do segmento de turismo de Florianópolis e Região e que visa o desenvolvimento socioeconômico do destino por meio do aumento do fluxo de visitantes através da promoção do destino e apoio e captação de eventos que tenham como foco o ambiente corporativo e social.

A entidade lança agora sua segunda etapa* (1ª reivindicações de diferenciações dos patamares de eventos, 2º criação de cronograma para retomada gradual e urgente e 3º aprovação do protocolo de segurança para realização de eventos liderado pelo trade) do manifesto em prol do segmento, que está parado desde o início da pandemia e que pede aos órgãos responsáveis voz para que possam contribuir para um planejamento seguro do segmento.

Neste momento, o Floripa Convetion e Região, que compreende um grande setor produtivo na região metropolitana, move a chamada indústria sem chaminé, propõem um calendário baseado em estudos realizados pela entidade e parceiros do trade, com foco na retomada com segurança.

“Entre cancelamentos, suspensões e adiamentos, somente em Florianópolis, já são mais de 81 eventos com futuro incerto. O setor de eventos estagnou no Brasil e, como segundo destino nacional, estamos completamente sem ação, sendo que entre os meses de março a novembro deste ano, estamos deixando de faturar 500 milhões e 400 mil para a economia da cidade, numa cadeia produtiva que envolve hotéis, bares e restaurantes, infraestrutura e milhares de empregos com profissionais que têm nesse segmento sua fonte de sobrevivência. Se incluirmos toda a região metropolitana, os danos podem chegar a triplicar. Já registramos um enxugamento de 40% no número dos nossos associados, e não apenas por contenção de custos, pois estamos flexibilizando, mas muitos com fortes indícios de falência dentro de 60 dias. São empresas prestadoras de serviço, agora, gerando desemprego ao invés de empregos”, destaca Humberto Freccia Netto, presidente do Floripa Convention.

A segunda etapa deste manifesto compreende a apresentação de um calendário visando à retomada dos eventos, seguindo as seguintes determinações quanto ao Porte:

  • A partir de agosto de 2020: eventos de pequeno porte (até 150 pessoas);
  • A partir de setembro de 2020: eventos de porte médio (151 a 500 pessoas);
  • A partir de outubro de 2020: eventos de grande porte (501 a 3.000 pessoas);
  • A partir de novembro de 2020: mega eventos (acima de 3.000 pessoas).

O Floripa Convention também já desenvolveu um protocolo que, após aprovado pelos órgãos competentes, será amplamente divulgado pela entidade e parceiros. O presidente da entidade destaca ainda que a diretoria aguarda retorno das prefeituras da Grande Florianópolis, referente a ofício enviado solicitando uma reunião para apresentação destas normas. “Vale lembrar que os eventos têm papel estratégico na retomada da economia uma vez que abrangem em seu ecossistema mais de 50 segmentos de mercado”, finaliza Humberto Freccia Netto, presidente do Floripa Convention.

A primeira etapa você podem conferir aqui.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui