FOHB: dados mostram alta de investimento no mercado hoteleiro

Os dados do FOHB apontam que estão em desenvolvimento a nível nacional 147 hotéis em que serão inaugurados até 2025

Eduardo Giestas, CEO da Atlantica (Foto: Divulgação)
Eduardo Giestas, CEO da Atlantica (Foto: Divulgação)

Nesta quarta-feira (28), em formato online, o Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB) em parceria com a Hotelinvest e a Mercado&Consumo apresentou o Panorama da Hotelaria Brasileira. O webinar ocorreu sob o tema “A oferta cresce, mas e a demanda? Oportunidades e desafios dos hotéis no Brasil” constatando por meio da pesquisa da Hotelinvest que o número de novos projetos em desenvolvimento no Brasil se mantiveram em ata.

“O FOHB elegeu três eixos de atuação estratégica desde a sua origem: o primeiro é a representação, nosso papel é defender o interesse dos associados, o qual ganhou muita relevância nesse momento de crise sanitária por sua proximidade com as autoridades governamentais. O segundo eixo é o de conteúdo em que visamos desenvolver e modernizar processos atingindo toda a cadeia. O último, eixo é a informação e através dele disponibilizamos inteligência setorial por meio de pesquisas, sendo uma fonte para ajudar os associados nos seus processos decisórios. Em tempos de crise temos que mais do que nunca embasar as nossas decisões em estatística e não em intuições e opiniões vagas”, pontua Eduardo Giestas, presidente do conselho administrativo do FOHB e CEO da Atlantica Hotels International.

O estudo realizado ao longo de três meses contou com 34 redes hoteleiras no Brasil avaliando o desempenho de 657 hotéis associados ao FOHB. Conforme o relatório, em 2020 existiam 169 hotéis em desenvolvimento, e desses, 24 foram inaugurados e 46 foram cancelados. 48 novos contratos foram assinados, representando R$ 6 bilhões investidos no setor em 147 hotéis em desenvolvimento que serão inaugurados até 2025.

“Ao nosso ver, esses novos 48 hotéis trazem confiança para os investidores de que a médio longo prazo o mercado vai se recuperar e teremos um patamar mais próximo do que se espera para o mercado hoteleiro. Em comparação com os dados da edição anterior, a curva mostra que a abertura prevista é muito parecida, mas com um pequeno atraso de 14 messes em decorrência da pandemia”, afirma Pedro Cypriano, sócio da Hotelinvest.

Outro dado relevante é que 7% desses empreendimentos são da categoria de luxo, sendo cerca de R$ 1,65 bilhão do total de investimentos destinados para esse perfil. Outras tendências reveladas pelo estudo, são as franquias que cada vez mais ganham força no país, representando 29% dos novos projetos. Além das cidades do interior, serem o principal polo dos investimentos.

Em relação a perspectiva para o futuro, Orlando de Souza, presidente-executivo do FOHB acredita que a vacinação é o caminho para o reaquecimento do mercado. “Vem pela frente um segundo semestre com uma tendência de recuperação mais clara.  Em termos de novos casos da covid-19, já começou a cair, evidentemente precisamos olhar com muito cuidado esses números, mas se essa curva continuar a cair e ter números menos expressivos aliado ao crescimento da população imunizada, teremos uma perspectiva de que o nosso mercado reaja (a partir de setembro). Dessa forma conseguiríamos ter uma possibilidade de abertura do país”, ressalta.

Deixe uma resposta