Fornatur desaprova nova marca “Brazil – Visit and Love Us” em nota oficial

De acordo com a entidade, há profundo lamento por não ter participado do planejamento da ação e aponta críticas referente à mensagem
Gilson Machado Neto, presidente da Embratur, e Osvaldo Matos de Melo Júnior (direita), diretor de Marketing. Foto/; Pablo Peixoto -Embratur

O Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur) divulgou uma nota referente à nova marca do Brasil no exterior. De acordo com o comunicado, a entidade não aprova a marca “Brazil – Visit and Love Us” e ainda destaca que “lamenta profundamente não ter participado do planejamento desta ação.

“Entendemos que a nova marca não possui um posicionamento de mercado e não representa o turismo do Brasil. Fica evidente que ela não possui conceito de marca turística, já que esse processo demanda tempo e planejamento”, afirma em nota.


LEIA MAIS:
+ Brasil é um dos 20 principais mercados que fomentam o turismo mundial
+ Abav-SP e Resorts Brasil treinam agentes para vender hotéis de luxo
+ Maior operadora de turismo LGBT+ do Brasil abre vaga; confira

Além disso, algumas críticas foram feitas em relação ao modo que a mensagem foi transmitida, indicando uma conotação sexual, “já que o verbo amar pode significar o ato sexual se vier junto com o pronome errado”, como no caso do slogan, que usa o pronome “us”, invés de “it”.

Confira abaixo a nota na íntegra:

Posicionamento oficial do Fornatur sobre nova marca do Brasil no exterior

Diante do anúncio da criação da nova marca do Brasil no exterior, o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur) vem oficialmente informar ao Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) que não aprova a marca “Brazil – visit and love us” e lamenta profundamente não ter participado do planejamento desta ação.

Um dos compromissos da atual gestão do Governo Federal durante a primeira reunião do Fornatur em 2019, na cidade de Goiânia, que contou com a participação dos representantes estaduais, do Ministério do Turismo, na presença do ministro Marcelo Álvaro Antônio, e da Embratur, na ocasião representada pelo ex-presidente interino Leônidas José de Oliveira, é de que qualquer decisão de reposicionamento do turismo do Brasil nacional ou internacionalmente seria discutida com o Fórum.

Um novo posicionamento estratégico e de novas campanhas de marketing e mercado, fizeram parte da demanda do Fornatur durante a reunião, mas não a mudança da marca turística já consolidada. Ficou acordado durante a reunião supracitada que o trabalho de planejamento seria feito com a participação e opinião de todos, pois entendemos que a construção de novas estratégias deve ser feita de forma coletiva.

O lançamento da nova marca, em tão pouco tempo após o início da nova gestão, nos surpreende.  Entendemos que a nova marca não possui um posicionamento de mercado e não representa o turismo do Brasil. Fica evidente que ela não possui conceito de marca turística, já que esse processo demanda tempo e planejamento. Um exemplo disso é a marca que estava vigente até o momento e que, durante meses, teve o plano de marketing desenvolvido pelos melhores especialistas do turismo internacional, em conjunto com os representantes do turismo nacional.

A marca lançada não descreve as belezas e diversidade do país ou a cultura de seu povo. Entre os problemas da nova marca, podemos citar o estrangeirismo do nome do país. Brasil com “z” ignora a grafia correta, não é utilizado há décadas e foi abolido justamente para que nossos símbolos fossem respeitados. O nome de um país, assim como sua bandeira, é um de seus maiores valores. O argumento de que o nome do país escrito com a letra “z” é bom para os estrangeiros que o buscam na internet cai por terra, já que hoje em dia os algoritmos detectam as possibilidades da palavra e já a sugerem, não tendo nem a necessidade de escrever corretamente.

Outro problema é o slogan e como ele foi traduzido para o inglês. O Brasil vem há anos trabalhando para apagar a imagem de destino de “turismo sexual”, porém a tradução dúbia do slogan pode colocar todo esse trabalho em risco. O slogan, como foi apresentado, sugere conotação sexual já que, na língua inglesa, o verbo amar pode significar um ato sexual se vier junto com o pronome errado, como no caso dessa marca que usa o pronome “us” e não o “it”.

Os problemas citados acima são apenas para exemplificarmos que, caso a ação de planejamento da marca tivesse sido feita em conjunto e por profissionais especializados, eles poderiam ter sido evitados.

Somos um Fórum colegiado formado pelos Secretários de Estado de Turismo ou Presidentes de Órgão Estaduais de Turismo de expressão técnica e política, que delibera sobre os temas relevantes do turismo nacional. Atuamos junto com o Conselho Nacional de Turismo (CNT) na elaboração e implantação do Plano Nacional do Turismo e na discussão dos principais programas e projetos do turismo brasileiro, formando o Núcleo Estratégico do Turismo. É necessário que façamos parte de toda e qualquer decisão que envolva estratégias voltadas para o turismo brasileiro.

Portanto solicitamos ao presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, a retirada da campanha para sua revisão para que seja debatida com o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo, com o Conselho Nacional do Turismo e demais representantes do turismo brasileiro. Aguardamos um retorno urgente do Instituto por entendermos que essa nova marca apresentada é prejudicial aos anseios do atual governo para o setor, como de aumento de fluxo turístico e a boa imagem do turismo brasileiro.

Cordial e respeitosamente,

Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur)


Leia também:
Abav-SP promove workshop em conjunto com a Resorts Brasil
– Booking.com lista os sete destinos nacionais mais bem avaliados por brasileiros
– Expedia aponta o que mais irrita e agrada os brasileiros em hotéis e aviões

2 COMENTÁRIOS

  1. A Folha de SP publicou uma matéria dizendo que esse slogan pode ter um cunho/conotação sexual e que não pegou bem.
    Na minha opinião sobre isso como nativa da língua: Errrrrou. rs
    Não tem qualquer cunho sexual na minha opinião, eu jamais pensaria nesse sentido se ouvisse isso. Pelo contrário, acho até bonitinho. O sentido sexual seria Make love to us.
    O que aprender com isso?
    É interessante destacar que em inglês pra um verbo temos que ter um sujeito.
    Em português podemos falar “Visite e ame” mas em inglês temos que dizer O QUE vamos visitar e amar. Por isso o “love US” ou pode ser “love IT”.
    Esse é um erro muito comum entre os brasileiros. Ocultar o “IT” ou qualquer que seja o sujeito em algumas frases em inglês.
    Portanto aos meus amigos americanos e de qualquer lugar do mundo. Visite e vai amar o Brasil SIM!
    Postei um vídeo falando sobre esse errinho comum entre os brasileiros.
    Veja aqui nesse link: https://www.youtube.com/watch?v=-XI4xyXM9uE

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui