Fórum Gramado busca elevar debates sobre o turismo no Brasil

0
A abertura do evento contou ainda com o canto do hino do Brasil e do Rio Grande do Sul

Começou oficialmente o 1° Fórum Gramado de Estudos Turísticos, na noite desta quinta (12), em abertura solene realizada na Câmara dos Vereadores da cidade da Serra Gaúcha. O fórum, realizado até este sábado (14), visa debater questões de fomento turístico e aproximar todas as esferas públicas e investidores privados do Brasil, em prol do segmento que mais cresce no mundo, além de disseminar os cursos e programas universitários da região e o crescimento sustentável.

Idealizado pelo vereador Luia Barbacovi, o evento contou com a presença Guilherme Paulus e Claiton Armelin, da CVC, Kátia Bogéa, do Iphan, Neusvaldo Ferreira Lima, diretor de planejamento do MTur, Victor Hugo Alves, secretário de turismo do Rio Grande do Sul, Fernando Boescardin, presidente do Sindtur da Serra Gaúcha, Marta Rossi, da Rossi & Zorzanello, João Bertolucci, prefeito de Gramado, entre outros nomes do turismo.

“Entendemos que o Brasil tem que avançar no turismo e este é o momento de sensibilizar os homens públicos. Os órgãos precisam regular o turismo para manter um alto padrão de qualidade e desregular em outras áreas que precisam de menos burocracia”, salientou Boscardin em seu último ato público na função de presidente do Sindtur local, assumindo uma nova função fora do Brasil.

“Temos como objetivo transmitir novas ideias e trazer do turismo do Brasil para os novos tempos, realizando o Fórum em um momento tão importante para o país. Ao todo temos mais de 550 credenciados e trouxemos palestrantes qualificados”, afirmou Luia Barbacovi.

A 2a edição do Fórum já tem data marcada, sendo confirmado para ser realizado em maio de 2019.

Palestrante da noite

Luis da Gama Mór usou exemplos da Europa para ressaltar a importância do crescimento sustentável do turismo

Na abertura do Fórum, Luis da Gama Mór, ex-vice presidente da Tap e membro de órgãos de turismo de Lisboa, palestrou na abertura sobre overtourism (excesso de viajantes), realidade em Barcelona e Veneza, e pontuou como “combater” os embates entre os turistas e a população local e a busca pelo crescimento estrutural

“Precisamos fazer as pazes com a comunidade. Entregar as cidades de volta para eles edeixar de criar cidades cenográficas que não se sustentam e começar a valorizar as características de cada lugar, sem combater a tecnologia e a modernidade como Uber e Airbnb. O turismo deve estar a serviço de um projeto de cidade”, ressaltou Mór.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here