Foz do Iguaçu implementa protocolos sanitários para retomada

Para a reabertura, os empresários devem assinar o Termo de Responsabilidade Sanitária, assumindo o compromisso de cumprimento dos protocolos estabelecidos

Foz do Iguaçu

Na última terça-feira (12), Foz do Iguaçu instaurou protocolos de segurança sanitária para a retomada de atividades turísticas. Os protocolos foram criados pelas Secretarias da Saúde e do Turismo, Indústria, Comércio e Projetos Estratégicos, sob a coordenação do Conselho Municipal de Turismo (Comtur), Sebrae e entidades representativas do trade.

“Foz do Iguaçu foi a primeira cidade brasileira a criar um serviço de plantão Coronavírus 24 horas, com atendimento pelo WhatsApp. Foi, também, a primeira cidade a tornar obrigatório o uso de máscaras. Estamos preparados, com dois laboratórios habilitados, para fazer testagem massiva de todas as pessoas com sintomas de gripe ou síndrome respiratória. Serão, ao todo, 34 mil testes. Agora, também somos o primeiro destino turístico a instituir protocolos de segurança sanitária para que as atividades recomecem pouco a pouco”, pontua Chico Brasileiro, prefeito de Foz do Iguaçu.

Desde a última segunda-feira (11), os estabelecimentos que se adequaram as novas normas, estão autorizados a atender o público de viagens de negócios. No segmento de turismo de lazer, os estabelecimentos começarão a operar gradualmente a partir de 10 de junho. Agências de viagens e operadoras que prestam serviços de receptivo e transporte turístico, estão autorizadas a funcionar desde 11 de maio.

“O setor esperava esses protocolos sanitários. A partir disso, as empresas vão se preparar para atender o público cumprindo as normas estabelecidas. Numa próxima etapa, os empreendimentos já poderão anunciar a reabertura para o mercado de vendas e trabalharem para atrair visitantes”, observou o presidente do Comtur, Carlos Silva.

O distanciamento social, reforço nos padrões de higiene, uso de equipamentos de proteção individual, álcool em gel e ações educativas estão entre os pontos definidos no protocolo. Em eventos, uma das principais alterações é a limitação de participantes a 30% da capacidade do espaço.

“Sabemos que a retomada será lenta e gradual. E que os protocolos, daqui por diante, serão a nossa nova normalidade. O documento foi construído de forma democrática e participativa. Buscamos construir protocolos baseados nas melhores práticas de cuidados com a saúde e de prevenção ao novo coronavírus, para garantir um ambiente mais seguro a quem visita o destino”, destaca Chico.


Deixe uma resposta