Valorizar para promover os fretamentos

Por: Antonio Euryco

GUARUJÁ – Na sessão de encerramento do 13o. Encontro das Empresas de Fretamento e Turismo do Estado, saltou à tona uma das  situações bem integrantes no  perfil de atuação das companhias que mobilizam um enorme potencial de serviços e interação com a sociedade e não promovem justamente esta realidade.  Em meio a questões funcionais e operacionais, a entidade ativou canais para mobilizar um processo de comunicação que terá por enlace maior, mosrar e dizer que o fretamento é essencial para todos, tem benefícios sociais, para os usuários e para a qualidade de vida, a mobilidade urbana e a própria saúde da Terra.

 

A introdução para este novo capítulo com um folde que passará a ser quase um caderno de encargos a respeito, foi dada na palestra “A Era dos Valores” realizada por Roberto Sganzerla na manhã deste domingo.  O especialista em marketing nos transportes  produziu mais um trabalho sobre os passageiros no transporte por ônibus, desta vez com a valorização da economia de espaço viário, abrangente à redução de consumo de energia, de emissões, de acidentes e das áreas para estacionamento.

 

O folder apresenta um resumo sobre as muitas vantagens para quem é contratante, para os usuários, as questões sociais e os benefícios para a sociedade.

 

Para chegar a este material, distribuído no final aos participantes do encontro e a partir desta semana disponibilizado em pedidos a serem feitos diretamente para a secretaria da FRESP, Sganzerla utilizou sua experiência de consagrado palestrante para reiterar que a promoção do fretamento nunca viveu uma fase tão boa, tão próspera e incentivadora como esta.

 

Dividiu sua exposição em tres blocos, partindo do entendimento da área, dos exemplos práticos do setor (benchemarking), e como utilizar as vantagens do serviço.  Falou da era do produto nos anos 90,  depois a seqüência da década quando o cliente passou a ser o centro da equação e as pesquisas ganharam importância e destaque, e de  2005 para cá, quando o tempo dos Valores  – o marketing 3.0 –  passou a dominar – realidade que também passou a acontecer no Brasil nos últimos tres e quatro anos.

 

“O que tem que ser bom para o cliente, deve ser bom para o mundo.  Passamos de condutores locais para cidadãos globais em busca de um mundo melhor”, afirmou o palestrante, que também abriu um interessante espaço para mostrar que as redes sociais não são o mesmo que a Mídia Social, compromissos e valores de utilização.  Foi uma palestra interessante e de ampliação de conhecimento para todos, reafirmando-se na sua fala final: “não deixem de aproveitar esta era, a melhor de todas”.

 

AE

 

 

 

 

Deixe uma resposta