GOL anuncia iniciativas conjuntas com a Delta

Por: Priscila Ferraz

Hoje, dia 15, a Delta Air Lines e sua parceira GOL reuniram convidados em São Paulo a fim de comemorar o 13º aniversário da companhia aérea brasileira e informar algumas das iniciativas conjuntas previstas para este ano. Estavam presentes o vice-presidente da Delta, Nicolas Ferri, a gerente-geral da companhia, Sarah Lora, o gerente de comunicação da GOL, Marcus de Barros Pinto, o head de alianças, Ciro Camargo e o executivo de alianças, Rodrigo Gomes de Sales.

 

Para alcançar a meta de ser a maior companhia norteamericana na América Latina e Caribe, a gerente-geral da Delta explicou que não poderia deixar de trabalhar com parcerias. “O acordo de código compartilhado a ser expandido compreende 23 destinos e 580 voos. Teremos também uma cobertura nos Estados Unidos em pontos importantes, como Atlanta, JFK, Detroit e Miami – sendo a última servida pela GOL, as outras pela Delta. A partir de 1º de março entramos com uma segunda frequência Atlanta –  São Paulo”, disse Sarah.

 

Essa foi a primeira vez que a GOL colocou uma companhia estrangeira dentro de seu sistema. A partir de maio de 2013, o desenvolvimento do codeshare Delta em GOL foi complementado com a adição do código GOL na rede Delta. Em julho do ano passado, a GOL passou a oferecer voos da Delta em seu site, call centers e via agentes de viagens. “O modelo de negócio da GOL é baseado em venda direta. Para conseguirmos um acesso direto ao inventário do nosso parceiro foi preciso modificar a estrutura de nosso sistema e então permitir uma situação inédita de venda. Também é importante dizer que, para a GOL e para a Delta, isso significou uma economia com os custos de venda, porque nós somos conhecidos por hostear nosso inventário na internet”, explicou Ciro Camargo.

 

“O que é muito interessante e é muito fácil de falar é que essa parceria vai além da simples cooperação comercial. A combinação é uma oportunidade de poder desenvolver um know how adequado à nossa realidade brasileira como uma experiência e conhecimento específicos de um parceiro que tem mais de 80 anos de história. Poder aprender e desenvolver um plano comum com uma empresa de tanto sucesso e tão predominante no mercado mais importante do mundo é uma honra para a GOL e é justamente onde estão os nossos maiores ganhos”, completou.

 

Copa do Mundo


O número de voos, preços, operações e número de frota serão anunciados na próxima sexta-feira, dia 17. A malha considerará o período inicial das oitavas, e, após essa fase dos jogos, haverá uma nova rodada de pedidos. Da aprovação inicial da Anac, parte virá aprovada para vender e a outra será decidida entre as companhias, caso haja coincidência de pedidos.

 

“O Brasil recebe cada vez mais atenção em todo o mundo devido à Copa do Mundo FIFA e os Jogos Olímpicos de Verão em 2016. Estes são dois grandes eventos que trarão aumento de tráfego para o País que já está destinado a se tornar o quarto maior mercado de aviação do mundo até 2014, com mais de 90 milhões de passageiros”, informou Sarah.

 

Plano de voo


A Delta já organiza um plano de voo há muitos anos, e sua parceira adotou a prática em 2013. “Dessa forma definimos os pilares e pontos mais importantes que queremos atingir ao longo do ano. No caso da Delta, por exemplo, a companhia tem como pilares o customer service operations, people revenue e finance. Na GOL nós pusemos nossos valores corporativos em segurança, inteligência, low cost e servir”, expôs Marcus Pinto.

 

Hoje, quase 30% dos passageiros da Delta que embarcam no Brasil terminam seu itinerário pela GOL. “Esse número elevado mostra que existe uma aceitação muito grande do produto combinado, o que foi muito rápido, já que nossa parceria tem um ano apenas. Não nos interessa participar de grandes alianças mundiais de aéreas porque nós identificamos que é muito mais adequado para o nosso cliente e para o nosso negócio fazer acordos individuais com as empresas, sempre olhando para onde o cliente pretende ir”, explicou.

 

Investimentos


Os executivos não deram previsão ou possibilidade de maior investimento por parte da Delta e expuseram onde têm mantido o foco. “Investimos em mudança de malha e em facilidades para os nossos clientes. Por exemplo, não permitimos que o cliente que veio de Delta e que quer voar GOL fique muito tempo no aeroporto. Olhamos as respectivas malhas para sempre adequá-las. Temos investido bastante também em autoatendimento (mobile e totem)”, contou o gerente de comunicação da GOL.

 

Voos diretos


Nicolas Ferri disse que não há planos para executar um voo direto para Miami, o que foi apoiado por Camargo ao dizer que a companhia brasileira não necessita disso, já que estabeleceu parceria com a “especialista em oferecer a solução para seus clientes”. “A partir de março, teremos 42 voos semanais EUA – Brasil (sendo os destinos Atlanta – SP, Nova Iorque – SP, Detroit – SP, Atlanta – Rio de Janeiro e Atlanta – Brasília). Acho que o passo seguinte seria a melhora no equipamento no voo de Brasília, mas ainda não temos uma data. O que podemos falar é que a ocupação foi muito acima do que nós esperávamos, colocando o Brasil como o quarto mercado da malha global para Delta”, contou Ferri.

 

Crescimento da frota

A previsão para este ano não é de crescimento de frota para a GOL, apenas a atualização de novas aeronaves, que substituirão as antigas. “As antigas aeronaves retornarão, mas estão sendo preparadas para isso, pois há um processo de revisão mecânica. E, claro, chegará o Boeing 737 Max, como já anunciamos, a partir de 2016”, finalizou o gerente de comunicação.

 

 

Priscila Ferraz de Mello

Deixe uma resposta