GOL apresenta novo procedimento para operações

Por: Antonio Euryco

RIO DE JANEIRO – Um avanço tecnológico de maior valia para a aviação comercial brasileira é o acontecimento de hoje no aeroporto Santos Dumont, quando a GOL Linhas Aéreas Inteligentes promove, juntamente com a General Eletric, Anac, DCEA e SNEA, a apresentação prática do RNP AR Aprproach, siglas de Performance de Navegação Requerida.

 

Neste sábado (5 de maio), a data marcada para o voo de validação operacional em busca da autorização da Agência Nacional de Aviação Civil para a operação do procedimento desenhado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo no aeroporto Santos Dumont. No projeto, que completa um ano de desenvolvimento agora em maio, valores agregados para a companhia e os passageiros,  no conjunto de diminuição do tempo de viagem, economia de combustível, redução de ruído, emissão de gases poluintes e conseqüências.

 

Melhorar a qualidade de voo e segurança são os dois itens ressaltados pela delegação técnica da GOL, do setor militar aéreo e das autoridades de controle de voo que estão presentes. A Performance de Navegação Requerida permite melhor aproveitamento do espaço aéreo por meio de trajetórias com maior precisão, sem depender de sinais terrestres de rádio navegação. Assim, pousar e decolar em aeroportos com problemas meteorológicos ou de trânsito congestionado vai ter uma alteração bem condicionada.

 

“Com o procedimento, o comandante pode realizar uma trajetória de aproximação mais precisa, diminuindo os mínimos operacionais de 1,5 mil pés para 300 pés. Melhor condição para visualização da pista, pouso ainda mais seguro e confortável”, é a explicação de Adalberto Cambauva Bogsan, o Vice-Presidente Técnico da GOL.

 

A empresa já conta com 23 aviões habilitados e 25 equipes em treinamento de capacitação. As seis aeronaves que operam a Ponte Aérea entre as duas maiores cidades do País  deverão estrear oficialmente o sistema até o final do mês ou na primeira metade de junho. “Aguardamos agora a certificação e autorização da Anac para o inicio efetivo”, revelou o executivo da empresa, indicando este projeto como mais um comprovante da condição tecnológica da maior companhia aérea de baixo custo e baixa tarifa da América Latina. “É mais uma aposta de qualidade e segurança de serviços”, completou.

 

A de hoje é a apresentação formal de validação. Fundamentada em navegação baseada em performance (satélite e performance a bordo), o procedimento mostra aproximação mais estável, menos ruido e melhores condições de teto e visibilidade sob condições adversas, com o significado também de economia de combustível.

 

A validação dos procedimentos  já ocorreu  no inicio de abril em um moderno simulador de voo do Boeing 737-800, capaz de reproduzir as condições de terreno e o cenário que circunda o Aeroporto Santos Dumont. Além dos elaboradores de procedimento do DECEA e pilotos inspetores do GEIV, participaram da  validação técnicos da ANAC, pilotos da Gol Linhas Aéreas e profissionais da GE/ Naverus, empresa contratada pela Gol para assessorar a companhia aérea no projeto.

 

Antonio Euryco

 

 

Deixe uma resposta