Governo holandês aumenta participação na holding AF-KLM para 12,68%

0
Air France-KLM

O governo holandês aumentou a sua participação na Air France-KLM para 12,68%. De acordo com um comunicado do Ministério das Finanças holandês, o objetivo é obter uma posição semelhante ao estado francês, que possui 14,3% da holding Air France –KLM. A Holanda começou a comprar as ações em 20 de fevereiro.

“Por meio de sua participação acionária, o governo holandês quer poder exercer influência direta sobre os futuros desenvolvimentos na holding Air France-KLM para garantir que os interesses públicos holandeses sejam assegurados de forma otimizada”, disse o Ministério de Finanças holandês em um comunicado à imprensa.

LEIA MAIS: Air France anuncia integração da marca Joon a partir deste semestreGrupo Air France-KLM transporta 101,4 milhões de pax em 2018Air France altera nome da companhia low-cost Hop

Além disso, o ministério continuou afirmando que o bom relacionamento entre a KLM e o Aeroporto Schiphol de Amsterdã são fundamentais para a economia holandesa. No entanto, nos últimos anos, as decisões críticas sobre a KLM foram tomadas cada vez mais no nível holding Air France –KLM. As operadoras se uniram em um único grupo aéreo em 2014, mas ainda mantém redes e marcas separadas.

“Com a aquisição de ações da Air France-KLM, a influência formal já foi obtida no mais alto nível dentro da holding, e os interesses públicos dos Países Baixos estão mais bem assegurados em futuras tomadas de decisão”, disse o Ministério das Finanças holandês.

Mais tarde, Bruno Le Maire, ministro das finanças francês, afirmou ao jornal parisiense Le Monde que os Países Baixos tomaram a decisão sem notificar o governo da França ou o conselho de administração da Air France.

Conflitos na união

O grupo de companhias aéreas foi contido por conflitos trabalhistas e fraco desempenho da Air France. Em 2018, a KLM tinha uma margem operacional de 9,8% contra a margem da Air France de 1,7%.

Durante o primeiro semestre do ano passado, 15 dias de greve na Air France levaram à renúncia de Jean Marc Jenaillac, ex-CEO da Air France, que foi substituído por Bem Smith, ex-executivo da Air Canada, que, em outubro, negociou um acordo com a maioria dos funcionários sindicalizados da Air France.

Recentemente, ainda circularam informações de que o conselho da Air France- KLM estava considerando a remoção do CEO da KLM, Pieter Elbers, devido a notória falta de apoio do plano de Elbers Smith de aumentar a colaboração entre a Air France e a KLM. Mesmo assim, o conselho da Air France – KLM recomendou a renovação do contrato da Elbers.

Conteúdo original.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here