GRU Airport debate cenário aéreo e busca novas rotas norte-americanas

De acordo com João Pita, gerente de Negócios Aéreos da GRU Airport, propostas para novas operações estão sendo bem aceitas pelos mercados
GRU Airport
João Pita, gerente de Negócios Aéreos da GRU Airport, detentora do Aeroporto de Guarulhos (Foto: Divulgação)

Os escritórios de representação do turismo da região oeste dos Estados Unidos e toda a indústria do turismo da Califórnia reuniram-se entre os últimos dias 10 e 12 de fevereiro, no Outlook Forum – Visit California 2020, em San Diego. O momento serviu para debater estratégias e tendências mundiais para atrair mais viajantes para a região. A GRU Airport esteve presente no evento, sendo a única representante do Brasil a participar.

João Pitra, gerente de Negócios Aéreos da GRU Airport, participou do painel “Discussing the Runway Ahead”, abordando novidades do mercado e demandas de tecnologia e inovação dos aeroportos e companhias aéreas. Além disso, contou como os avanços conquistados recentemente pelo Aeroporto Internacional de São Paulo atestam o potencial do mercado brasileiro.

“O ano de 2019 foi desafiador por conta da saída da Avianca e da oscilação da economia. No entanto, o fato de termos conseguido dobrar a quantidade de rotas inauguradas em 12 meses mostra que o Brasil tem capacidade e versatilidade para crescer”, conta Pita.

Ainda de acordo com o executivo, foram lançados 26 novos voos no GRU Airport, o dobro do que foi registrado em 2018. Entre as tendências de mercado, foram citadas as aeronaves de nova geração que permitem abrir mercados com menos demanda local, a necessidade de aumentar a promoção do Turismo da Califórnia no Brasil e os desafios que o coronavírus ofereceu à indústria do turismo em escala global.

“A participação da GRU Airport neste evento foi importante porque, atualmente, só temos uma ligação direta com a Califórnia [pela American Airlines] com quatro voos semanais, ou seja, 3% da nossa capacidade para os Estados Unidos”, explica o gerente.

A Califórnia é o estado com o maior PIB dos Estados Unidos e o destino de 15% dos passageiros brasileiros. “Uma de nossas prioridades é ter mais ligações entre GRU e a costa oeste americana, como por exemplo, São Francisco, para estimular o mercado local e ainda para servir de porta de entrada para a Ásia. A Califórnia tem, por exemplo, 20 voos diários para o Japão”, pontua.

Pita ainda aproveitou o momento para buscar novas parcerias para o Aeroporto Internacional de São Paulo. A proposta do gerente parta uma nova rota para a cidade de São Francisco, no norte da Califórnia, foi bem recebida por companhias aéreas durante o fórum, segundo o executivo. “Ao menos duas empresas têm grande potencial de executar a nossa proposta”, se orgulha.


Leia também:

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui