Grupo Arbo propõe parceria com empresas impactadas pela crise

Ideia central é internalizar empresas fragilizadas à estrutura do grupo – que detém 13 marcas em nove segmentos do mercado de Turismo – para atuação conjunta

grupo arbo
Arnaldo Franken e James Giacomini, fundadores da Diversa Turismo

Um negócio bom para ambos os lados. É com essa proposta que Arnaldo Franken abre as portas do grupo Arbo às empresas interessadas em unir forças para superar os efeitos da prolongada crise causada pelo novo coronavírus. A ideia central é internalizar empresas fragilizadas na estrutura do grupo – que tem 35 anos de história e, hoje, detém 13 marcas em nove segmentos do mercado de Turismo – para atuação conjunta.

Nesse modelo proposto, uma das empresas do grupo Arbo ficará responsável por toda a operação do ponto de vista administrativo, tecnológico e financeiro. Por outro lado, o cliente da marca parceira continua atendendo com marca própria, mantém suas relações comerciais atuais e podem investir seu tempo na prospecção de novos clientes. Franken garante transparência e “números abertos aos parceiros” dentro do sistema inovador de operação e precificação que tornou a Diversa – operadora do grupo, fundada em maio de 2018 – reconhecida no mercado.

O projeto foi apresentado hoje e, segundo Franken, já há três empresas em negociação para adesão. Uma delas é a MHTour, de Marcelo Michieletto, que vem conversando com executivos do grupo Arbo há dois meses para atendimento tanto da frente de lazer quanto no corporativo dos negócios, que são focados no mercado LGBT+. A Diversa fará a operação, a Globalis se encarrega do B2B e a Kompleta ficará responsável pelo B2C.

grupo arbo
Marcelo Michieletto (MH Tour)

“O covid-19 nos tirou da zona de conforto. Como empresa boutique, a MHTour tinha toda a operação estruturada, mas precisava se fortalecer no mercado. Nas conversas iniciais, percebemos que havia grande sinergia no modus operandi, com trabalho personalizado, e decidimos trazer os produtos para dentro do grupo”, explica Michieletto. Ele conta que trabalhava com cerca de 150 produtos criados especialmente para agências LGBT+, número que aumenta de forma exponencial com a operação da Diversa – que também tem uma linha de produtos voltada ao segmento.

O leque de fornecedores se amplia para os parceiros que já estão tocando projetos conjuntos de curadoria de hotéis e receptivos. “Estamos realmente juntando nossos fornecedores e, assim, oferecendo ao mercado produtos específicos e com garantia de qualidade no atendimento ao viajante LGBT+ e às agências especializadas no segmento”, afirma Michieletto. Essa sinergia já resultou em um novo site com circuitos regulares LGBT+ no Canadá – disponibilizadas no site – e na Itália – com lançamento previsto na próxima semana.

Receptivos em outros países devem ser informados em breve, já que no momento a atenção se volta à capacitação de toda a rede, incluindo a de hotelaria. “Estamos conversando com os fornecedores da Diversa para entender se eles estão aptos a atender o viajante LGBT+. Nos destinos que não conhecemos, temos o cuidado de verificar se as empresas são afiliadas à Associação Internacional de Turismo LGBT ou a alguma câmara empresarial voltada ao segmento”, destaca o proprietário da MHTour. “Isso reforça o DNA da Diversa de trazer profissionais altamente qualificados. Queremos oferecer serviço de qualidade no detalhe e não simplesmente colocar algo na prateleira”, completa Franken.

A diversidade de atuação das empresas sob o guarda-chuva do grupo permite estender as negociações para todos os ramos do turismo. Empresas focas em corporativo, lazer, feiras, eventos e incentivos podem aderir ao modelo proposto que tem um único pré-requisito: o alinhamento filosófico entre a cultura dos dois negócios. “Estamos de portas totalmente abertas para conversar com empresas que buscam por uma boa parceria. O primeiro passo é entender a necessidade e a linha operacional de cada um para avaliar se é compensatório para ambos os lados”, finaliza Franken.

Presente à reunião, Charles Franken falou pelo lado dos agentes de viagens independentes. Devido ao grande movimento de profissionais buscando formas de empreender durante a crise, o diretor da Casa do Agente – outra marca do grupo Arbo – afirma que tem visto muitas empresas retrocederem em termos de estrutura. “Muitas pessoas vêm buscando nosso apoio para resolver a parte burocrática, operacional e relação com fornecedores para investir tempo no relacionamento com clientes e na capacitação, extremamente importante nesse período”, diz.

Os interessados devem escrever para [email protected]. A mensagem será direcionada ao executivo da empresa apropriada para iniciar as negociações.

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui