Grupo Costa gera impacto econômico de 12,6 bilhões de euros em 2018

A companhia, que tem maior impacto no mercado italiano e alemão, criou mais de 61 mil empregos na Europa no ano passado

0

O Grupo Costa, com 3,2 milhões de hóspedes, gerou impacto econômico total de 12,6 bilhões de euros em 2018 na Europa, criando mais de 61 mil empregos. Os números fazem parte de um levantamento realizado pela consultoria Deloitte & Touche, em parceria com a Universidade de Gênova e a Universidade de Hamburgo, e apresentado no final de setembro pela companhia marítima.

Para Neil Palomba, presidente da Costa Cruzeiros, o objetivo do estudo é justamente quantificar esse valor na Europa, especialmente na Itália, onde a companhia é líder e possui uma presença histórica estabelecida. “Esses números podem servir de base para que, de posse de mais informações, programas de desenvolvimento possam ser implementados com as comunidades dos portos que visitamos”, completa.


LEIA MAIS:Costa Cruzeiros oferece upgrade para grupos na AbavCosta do Sauípe anuncia pacotes exclusivos para o Réveillon; confira
+ Costa Verde & Mar (SC) oferece tour gastronômico durante inverno

São três tipos de impacto econômico. O direto, que engloba despesas da empresa, seus passageiros e a sua tripulação, representa 38% do total. Já o impacto indireto, que corresponde às despesas efetuadas pelos mais de 10 mil fornecedores e parceiros do Grupo Costa, soma 36% do total, enquanto o impacto sobre as atividades como os gastos e o consumo dos colaboradores, fornecedores e parceiros da rede em bens e serviços nos locais onde vivem e passam os navios da companhia.

A construção naval movimentou cerca de 4,5 bilhões de euros e gerou mais de 20 mil postos de trabalho. Os número são consequência de um plano de expansão da companhia, que terá, até 2023, sete navios novos em sua frota, com dois deles já em operação. Os gastos realizados elos hóspedes também se mostram expressivos. Cada passageiros gastou, em média, 74,60 euros por escala. Além disso, 60% dos turistas afirmaram querer retornar aos destinos visitados.

Entre os países em que o grupo gera maior valor, estão Itália e Alemanha. No país italiano, o impacto econômico foi de 3,5 bilhões de euros em 2018, com cerca de 17 mil empregos gerados. Somente na Lingúria, a presença do Grupo Costa representa 511 milhões de euros e mais de 3,2 mil empregos, sendo 1,1 diretos nas sedes em Gênova, Savona e La Spezia.

Savona é o principal porto da Costa Cruzeiros, tendo recebido 850 mil passageiros em 2018, o que acarretou em uma contribuição econômicade 125 milhões de euros e 700 postos de trabalho. Com a chegada do navio Costa Snmeralda, no final deste ano, Savona deve presenciar crescimento nos próximos anos. Para acomodar o novo navio, o grupo investiu, em união com a Autoridade Portuária do Oeste da Ligúria, mais de 20 milhões de euros na reestruturação do cais principal.

O número de fornecedores locais também se mostra significativo. São mais de 4,7 mil empresas, incluindo o estaleiro Fincantieri e grandes marcas italianas nos setores de design, alimentos e bebidas. A Itália também está entre os principais destinos dos navios da rede. Somente no país, os navios movimentaram 3,2 milhões de passageiros em 2018 e realizaram 852 escalas em 20 portos diferentes.

Neste ano, a Costa espera um aumento no número de passageiros transportados, impulsionado pelo retorno do Costa Fortuna à região. Com saídas semanais, o navio deve transportar 170 mi hóspedes a partir do porto de Gênova no próximo ano. Para 2020, a expectativa é de que sejam mais de 185 mil passageiros, quando essas saídas regulares passarem a ser feitas pelo Costa Pacifica, com maior capacidade.


Leia também:
– Costa Cruzeiros amplia oferta no Brasil para temporada 2020/21; veja novidades
Embratur afunda navios na costa de Tamandaré (PE); entenda
Costa Smeralda tem embarque adiado para 30 de novembro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here