Grupo Privé tem novo sistema para investimentos em férias e lazer

Por: Antonio Euryco

O Grupo Privé, conhecido pelos empreendimentos de hotelaria e lazer na região Centro-Oeste também investe decisivamente no setor imobiliário. Em Caldas Novas (GO), já construiu 12 empreendimentos  em 20 anos de atuação, com quase 4 mil leitos.  Como grupo turístico e imobiliário da região das Águas Quentes notabiliza-se também por inovações e acrescenta mais uma com sucesso no sistema inteligente de cotas.

 

‘Racionalizar o investimento e pagar apenas pelo período de uso. Ser proprietário juntamente com mais nove cotistas, um apartamento dividido por dez”,  assim explica o diretor Marco Aurélio  Palmerston ao exibir o projeto que vem sendo aprimorado. Nos dois primeiros, o Marina Park com 100% de venda e o Atrium Thermas, já com 27%, como modelo inicial. Nos dois próximos, um deles na belíssima região ao redor de Caldas Novas, o Ilhas do Lago,  no Náutico Clube,  o sistema flexível será agilizado, com dez anos para o rodízio completo de feriados e datas festivas, uma rotatividade que tornará a aquisição ainda mais atraente..

 

Nos dois primeiros, prevaleceu ainda o sistema das cinco semanas de uso como co-proprietário do apartamento inteiramente mobiliado, sendo que o proprietário pode  disponibilizar duas semanas sem utilização própria pessoal a ter uma renda extra com a negociação de aluguel do imóvel neste período correspondente,  via administradora da própria Privé. O ano inteiro distribuído em 50 semanas, (as outras duas para manutenção geral), e a distribuição dos períodos fixos montam esta composição.

 

No Atrium, o empreendimento do SIC – Sitema Inteligente de Cotas – ainda referente ao primeiro grupo, o apartamento financiado em 72 vezes e com entrada de R$ 2,5 mil em duas vezes, tem parcelamentos mensais de R$ 416,67.  O Ilhas do Lago, no segundo caso, estará com vendas a partir de agosto.

 

Diferente do time-sharing, a nova sistemática é observada com previsão bastante otimista pelo grupo.  Marco Aurélio antecipa a previsão de arrecadação entre R$ 300 a R$ 350 milhões nos próximos dois anos. E com vantagens que os possíveis compradores – com atenção especial para a classe emergente – não podem deixar de conferir:- a quota é transferível, tem serviços de hotelaria,  enxoval de cama, mesa e banho, não existem restrições para o numero de quotas,  existe uma série de benefícios patrimoniais.

 

Ainda sob um mix de vendas regional dominante – Goiânia e Brasília – na faixa de 60%, o Triângulo Mineiro e São Paulo também já  está sendo bem garimpado. O executivo do grupo Prive considera que este modelo inédito deverá se espalhar de modo gradativo, com um volume de dez mil cotas nestes próximos cinco anos. ‘Vamos evoluir também para parcerias com empresas com as quais nos relacionamos, como a RCI, e ampliar  este direcionamento de cotas imobiliárias, o sistema fracionado mostra muitas possibilidades.’

 

AE

 

 

 

 

Deixe uma resposta