Grupo Voto debate contínuas ações para retomada do setor

De acordo com Gilson Machado, presidente da Embratur, o governo vai retomar os planos pré-pandemia para atrair visitantes internacionais

recife azul

O Grupo Voto, plataforma de conteúdo e relacionamento, promoveu, nesta quinta (9), um bate papo, a fim de discutir o que cada um dos brasileiros, cidadãos e governantes podem fazer para ajudar a retomada do setor. O encontro contou com a presença de:

  • Karim Miskulin – CEO do Grupo VOTO
  • Gilson Machado – Presidente da Embratur
  • Alexandre Gehlen – Presidente do ICH
  • Carlos Prado – Presidente da Tour House
  • Alberto Fajerman – VP de Assuntos Governamentais da Gol

Dentre as ações realizadas pelo governo em prol do processo de retomada, Machado destaca algumas iniciativas já realizadas e que devem ser retomadas e que, em junho, é possível já notar uma movimentação do mercado. “Em conversa recente com Manoel Linhares, da ABIH Nacional, fiquei sabendo que as reservas para janeiro já estão em alta”, observa.

Sobre o processo de preparo para a retomada, o presidente da Embratur afirma que as novas campanhas vai estimular as viagens de curtas e média distância. “Estamos realizando parcerias para unir a viagem à cultura”, pontua Machado, que chama atenção também para as ações de segurança promovidas no País, como o Selo de Turismo Responsável, do MTur, além de

Prado aproveitou o momento para destacar o Movimento Supera Turismo Brasil, lançado em junho e que tem como objetivo vender o Brasil para brasileiro e voltar a proporcionar renda aos mais diversos segmentos ligados ao setor. “Tem muitas iniciativas que vamos divulgar. São muitas pessoas que dependem do setor, mais de 50 setores envolvidos nessa cadeia. Algo grande”, reforça, o executivo, que afirmou que a campanha está se expandido e está sendo preparado novos materiais em outros idiomas.

No âmbito hoteleiro, Gehlen comenta que, tomando outros mercado como exemplo, junho era considerado um período de retomada e agora estima que 70% dos hotéis participantes do FOHB, bem como do ICH, retornarão até setembro. “Voltaremos com todos os devidos protocolos, que estão sendo rigorosamente seguidos, com treinamento e dedicação do nosso time”, se orgulha.

Fajerman deixa claro que hoje é um momento para destacar as coisas boas que acontecem no setor e que não é justo comparar o atual momento com o ano passado, visto que redução é um movimento já esperado visto a atual pandemia. “Reativar o turismo doméstico é uma oportunidade que estamos tendo. O desenvolvimento vai vir e o brasil tem que ter muito orgulho das suas empresas aéreas. Temos ainda uma pequena carência de voos regionais, mas está tendo um trabalho para atender esses pontos, mas é importante lembrar é necessário voar para onde há demanda”, declara o profissional, que estima de 70% a 80% da operação de 2019 ainda este ano.

Verão de 2021

Prado afirma que é necessário cada destino fazer chamamento dentro dos seus carros-chefes, como linguiça, em Bragança Paulista, e morango e flores, em Atibaia. O executivo ainda destaca que acredita muito no Nordeste brasileiro. “ A gente tem um monte de coisa pra fazer no País e quando começarmos a vender, vamos retomar o setor em cada uma das cinco regiões”, completa.

Gehlen afirma é necessário saber trabalhar e observa com otimismo o verão de 2021. “Hoje a gente está trabalhando para agosto, setembro e outubro e nossas vendas estão mais pra frente do que o usual. A média é baixa, mas crescente. Na minha opinião, vai ser muito bom, com brasileiros no País”, estima.

Fajerman, por fim, reforça que o segmento aéreo está se recuperando, mais uma vez sem levar em consideração 2019 como referência. “Vamos continua nesse crescimento, de maio em relação a abril, de junho em relação a maio, e assim continuaremos. As empresas criaram protocolos para que estejamos seguros”, conclui.


Deixe uma resposta