Hopi Hari anuncia Dark Christmas

Parque temático promete temporada mais assustadora do que versão drive-in

hopi hari
Foto Anderson Torres/Hopi Hari

Entre 20 de novembro a 31 de janeiro de 2021, das 11h às 20h30, o Hopi Hari promoverá o Dark Christmas: a lenda de Krampus”. O evento promove uma edição especial da Hora do Horror com a temática de Natal e circuito percorrido a pé, com todas as precauções.

“Para garantir a segurança de todos e o cumprimento dos protocolos de distanciamento social anticovid-19 iremos trabalhar com grupos de visitantes – com quantidade limitada de pessoas – , que farão o trajeto com total segurança, mas sem deixar de estarem imersos neste universo magicamente assustador proporcionado pela atração”, ressalta Rogério Barbatti, diretor artístico do parque.

A organização pede ainda que os visitantes fiquem atentos aos horários de fechamento das atrações. “Em função do protocolo de segurança, nesta edição não haverá balada, palco com shows de abertura e encerramento e túneis fechados, exceto o Ghost Hotel que funcionará tematizado, já que respeita as normas de distanciamento social”, completa Barbatti.

A Atração

Ao entardecer, os sinos começam a soar, o Hopi Hari ganha iluminação e efeitos em um percurso que começa pela área de Wild West. Durante o caminho os visitantes serão inseridos em meio a uma batalha entre Gryla, a bruxa do Natal, e Krampus.

Mas a atração não é feita só de terror. Para quem se comportou bem ao longo deste ano, o parque preparou ainda o Natal Mágiko, que acontecerá em Kaminda Mundi em uma história contada por meio das luzes de um grande céu estrelado, ou ainda visitar outras regiões isentas de sustos como Mistieri e Infantasia que também estarão repletas de luzes brancas, sem monstros, tematizadas somente com o tradicional clima de Natal.

 “Sabemos o quanto a Hora do Horror é esperada pelos nossos visitantes então, tentamos com esta temática trazer um pouco desta experiência de forma segura e divertida, para que todos possam ao menos matar as saudades”, destaca o Alexandre Rodrigues, presidente do Hopi Hari.


Deixe uma resposta