Hospedagem… O que é o que é?

Muitos creditam o desenvolvimento deste tipo de serviço às Cruzadas que, desde 1095, precisaram deste acolhimento

0
hospedagem

O serviço de hospedagem dedicado ao atendimento das necessidades dos viajantes, quando estes estão praticando os seus percursos longe de suas casas, existe já há séculos e há quem diga que os primeiros registros se concentram nas boas ações das igrejas e templos que aceitavam abrigar os passantes mediante doações não obrigatórias.

Fala-se dos antigos hospices – espécies de pousadas operadas por ordens religiosas – e de outras casas semelhantes. Conta-se de uma, em particular, que foi fundada na cidade de Jerusalém em 1408, em forma de hospital para cuidar dos peregrinos em visita àquela cidade. Catedrais e monastérios davam as boas-vindas aos que precisavam de um lugar para ficar enquanto passavam para emendar as suas jornadas.

Muitos creditam o desenvolvimento deste tipo de serviço às Cruzadas que, desde 1095, precisaram deste acolhimento. Nos mais de 200 anos que se seguiram, elas começaram a atender também uma emergente classe média. Deveríamos mencionar também as históricas tavernas gregas, a importância das casas de hospedagem italianas, os famosos Inns da velha Inglaterra, as pousadas portuguesas e as de outras centenas de casas semelhantes que foram surgindo em diversas partes do planeta.

Mas uma coisa é certa: quem viaja sabe bem o significado e a importância da hospedagem enquanto transita fora do seu domicílio. Hospedagem consiste no ato ou efeito de hospedar, o acolhimento de pessoas (gratuito ou não), o abrigo e/ou o alojamento temporário que se dá ou se recebe.

Recentemente me deparei com um trabalho de Charles Lang, publicado em 2013, que disserta sobre a origem da palavra hospitalidade dizendo que a mesma provém do Latim hospitalitate para designar o ato de hospedar, a própria hospedagem e a qualidade de hospitaleiro assim como, por extensão, o acolhimento afetuoso. O mesmo texto nos lembra de que, antigamente, a palavra hóspede apresentava duplo sentido (identificando tanto quem hospedava e quem era hospedado).

Hóspede, por sua vez, tem também origem no Latim hospes e se referia à pessoa que se alojava temporariamente no caráter de “visitante” em casa alheia. As palavras hospital e hotel parecem possuir a mesma raiz etimológica (ambas derivando do Latim hospes que significa “aquele que é recebido”). Por sua vez, o vocábulo hotel possui origem francesa hôtel que, no século13, era chamado de hostel  – estabelecimento que providencia acomodações. A palavra latina hospes  tem, possivelmente, raiz Grega: apo (adiante, além) e tithenai (colocar) para designar o conceito de “armazém / depósito”.

Verificamos também uma extensão do conceito quando utilizamos a palavra acomodação que, por sua vez, tende a conceituar o “ato de hospedar-se” assim como, por metonímia, a divisão de um local, de um cômodo. Existem muitas formas de se utilizar o termo, tal como: o ato de localizar ou instalar algo de forma a permitir que este seja adaptado ou ajustado a outra coisa (a acomodação de objetos, de móveis, de máquinas) ou, mesmo, o conceito de “acomodação” para exprimir “adaptação”.

Também se utiliza o termo acomodação àquilo que se leva a cabo para que algo ou alguém possa se adaptar (temporariamente ou permanentemente) a um determinado ambiente: “vamos acomodar os visitantes”. Alojamento, por sua vez, caracterizaria tanto o ato de alojar-se como, também, um local onde se reside temporariamente (aposento, morada, pousada).

Conceitos que fazem parte do dia a dia no mundo das viagens e do turismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here