Iata avalia com positividade decisões do governo brasileiro

Segundo a entidade internacional, a aprovação de capital estrangeiro aumenta a atratividade do mercado brasileiro

0
Os passageiros devem se atentar ás operações de seus voos após as chuvas em São Paulo

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) recebeu de forma positiva as recentes decisões no Brasil. Segundo ela, as medidas adotadas buscam alinhar o País aos padrões internacionais da aviação.

Apenas na última semana, o governo decidiu permitir 100% de capital estrangeiro em aéreas , incluindo a cobrança pela prestação de serviços auxiliares. Além disso, o Congresso Nacional havia aprovado a Medida Provisória 863/18 em maio deste ano – contudo havia a ressalva de que as companhias precisariam incluir em suas tarifas uma franquia de bagagem despachada.

Posteriormente, neste mês de junho, o governo federal aprovou a medida provisória, que então se tornou a Lei nº 13.842. Esta, porém, removeu a franquia de bagagem despachada por meio de um veto. Desta forma, as companhias aéreas no Brasil podem continuar oferecendo mais opções aos passageiros, já que agora eles estão livres para decidir quais serviços adicionais querem ou não contratar.


LEIA MAIS:
+ KLM promove 76º Assembleia Geral Anual da Iata em Amsterdã
+ Iata anuncia jurados e alterações do Prêmio de Diversidade e Inclusão
+ Tráfego doméstico cresce pouco no Brasil em janeiro; veja dados da Iata


A decisão, segundo a Iata, aumenta a atratividade do mercado brasileiro, alinhando o País às melhores práticas globais. “É essencial continuar nessa direção para que o setor atinja todo o seu potencial e contribua para o desenvolvimento econômico”, destacou o vice-presidente da entidade para as Américas, Peter Cerda.

Ainda segundo ele, custos operacionais, fórmula de precificação do combustível, gerenciamento de capacidades e marco regulatório dos direitos dos passageiros são exemplos de áreas que também devem ser alinhadas aos padrões internacionais. “Criando, assim, o ambiente correto para que a aviação ultrapasse a atual contribuição de US$ 18,8 bilhões para o PIB brasileiro, além de criar um mercado onde os passageiros terão mais opções, melhores experiências e um nível competitivo de preços.”


Leia também:
KLM assina com Embraer para compra de 35 jatos E195-E2
Lufthansa é escolhida como “Melhor Companhia Aérea da Europa”; confira
Latam anuncia 185 novos voos para Brasília na alta temporada; confira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here