Iata: pesquisa demonstra confiança de viajantes para pós-pandemia

Segundo a Iata, a tendências dos viajantes é viajar nos próximos dois meses da contenção da pandemia de covid-19

tendÊncias viajante

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) anuncia os resultados de sua última pesquisa, realizada com 4,7 mil viajantes recentes em mais de 11 países. A pesquisa mostra que os passageiros estão mais confiantes com o retorno às viagens aéreas, aponta a frustração com as atuais restrições de viagens, tendências dos viajantes e aceitação de um aplicativo para gerenciar credenciais de saúde para viajar.

De acordo com o levantamento, cerca de 88% acredita que, com a reabertura das fronteiras, será possível encontrar um equilíbrio entre gestão de riscos da covid-19 e retorno da economia. Além disso, 85% acreditam que os governos devem definir metas relacionadas à covid-19 – como capacidade de teste e/ou distribuição de vacinas – para reabrir as fronteiras.

Ainda segundo o levantamento, 84% acredita que a covid-19 não vai desaparecer e, por isso, é necessário gerenciar riscos enquanto vivemos e viajamos normalmente. Os dados indicam também que 68% concordam que sua qualidade de vida sofreu com as restrições de viagens e 49% declara que as restrições aéreas foram longe demais.

Embora exista apoio público para as restrições de viagens, está se tornando evidente que as pessoas se sentem mais confortáveis em gerenciar elas próprias os riscos da covid-19. As restrições de viagens trazem consequências sociais, econômicas e para a saúde. Quase 40% dos entrevistados relataram estresse mental e afirmaram ter perdido um momento importante por causa das restrições de viagem. E mais de um terço deles disse que as restrições os impedem de fazer negócios normalmente.

“Está ficando claro que precisaremos aprender a viver e viajar pelo mundo mesmo com a covid-19. Com os custos sociais e econômicos e de saúde resultantes das restrições de viagens, as companhias aéreas devem estar prontas para reconectar o mundo assim que os governos puderem reabrir as fronteiras. É por isso que um plano com etapas mensuráveis é tão importante”, disse Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da Iata.

Tendências dos viajantes

As respostas da pesquisa mostram que a confiança das pessoas está aumentando em relação ao retorno às viagens. As pessoas que esperam viajar nos dois meses após a “contenção da covid-19” agora representam 57% dos entrevistados (aumento em relação aos 49% de setembro de 2020).

Esse aumento se deve ao surgimento da vacina, pois 81% das pessoas estarão mais propensas a viajar depois de vacinadas. Além disso, 72% dos entrevistados querem viajar o mais rápido possível após a contenção da COVID-19 para ver amigos e familiares. Contudo, existem alguns obstáculos nas tendências de viajantes. Cerca de 84% dos entrevistados não viajarão se houver quarentena no destino.

E ainda há indicações de que a retomada das viagens de negócios levará tempo, pois 62% dos entrevistados afirmaram que provavelmente viajarão menos a negócios, mesmo depois que o vírus estiver sob controle. Porém, esse número teve melhoria significativa em relação aos 72% registrados em setembro de 2020.

“As pessoas querem voltar a viajar, mas a quarentena é um obstáculo. Com as melhorias na capacidade e tecnologia de teste e o avanço no número de pessoas vacinadas, estão sendo criadas as condições para eliminar a quarentena. E isso nos aponta novamente para o trabalho com os governos visando à reabertura bem planejada assim que as condições permitirem”, disse de Juniac.

Iata Travel Pass

As credenciais de saúde para viagens já estão abrindo as fronteiras de alguns países. A Iata acredita que esse sistema precisa de padrões globais e do mais alto nível de segurança de dados. A pesquisa produziu dados muito animadores, indicando a disposição do viajante de usar um aplicativo móvel seguro para gerenciar suas credenciais de saúde em viagens.

Quatro em cada cinco pessoas pesquisadas gostariam de usar essa tecnologia assim que estiver disponível. Elas também esperam que as credenciais de saúde para viagens (atestados de vacina ou teste) estejam em conformidade com os padrões globais – um trabalho dos governos que ainda está em andamento.

Os entrevistados da pesquisa também deixaram claro que se preocupam com a segurança dos dados. Cerca de 78% dos viajantes não usarão um aplicativo de credenciais de saúde se não tiverem controle total de seus dados. E cerca de 60% não usarão o aplicativo se os dados forem armazenados centralmente.

“Estamos desenvolvendo o Iata Travel Pass pensando nos viajantes. Não existe um banco de dados central. Estamos fazendo um bom progresso com vários testes, mas ainda aguardamos os padrões globais para atestados digitais de teste e vacinação. Somente com os padrões globais e sua aceitação por parte dos governos é que poderemos maximizar a eficiência e fornecer a experiência de viagem ideal”, disse de Juniac.

Deixe uma resposta