Iata faz apelo para governos globais e destaca Brasil como bom exemplo

A Iata afirmou que o Brasil adotou medidas iniciais principalmente focadas do adiamento de pagamentos e que demais países deveriam seguir a atitude

Iata
Alexandre de Juniac, diretor geral e CEO da Iata (Foto: divulgação/Iata)

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) renovou seu apelo aos governos da América Latina e do Caribe, a fim de fornecer ajudar financeira às companhias aéreas. Embora haja restrições de operações comerciais, a entidade destaca que todas as empresas devem manter vínculo econômicos vitais com as cadeias de suprimentos globais por meio da carga aérea e entende que muitas companhias estão com problemas financeiros, colocando funções vitais em risco.

“Temos uma crise de saúde pública cuja resposta está criando uma crise econômica. As companhias aéreas apoiam totalmente medidas para combater o vírus. Mas os governos não devem aprofundar a crise econômica, permitindo que o setor de aviação fracasse. Isso colocará em risco a conectividade. Isso prolongará a dor dos funcionários em toda a cadeia de valor do turismo e dificultará a recuperação “, disse Alexandre de Juniac, CEO da Iata.

Por isso, a Iata solicita:

  1. Suporte financeiro direto às transportadoras de passageiros e cargas para compensar a redução de receita e liquidez atribuíveis às restrições de viagem impostas como resultado do Covid-19
  2. Empréstimos, garantias de empréstimos e apoio ao mercado de títulos corporativos pelo Governo ou pelos Bancos Centrais. O mercado de títulos corporativos é uma fonte vital de financiamento, mas os governos precisam expandir e garantir a elegibilidade dos títulos corporativos para receber apoio dos bancos centrais para permitir o acesso a uma gama mais ampla de empresas.
  3. Isenção tributária: descontos nos impostos sobre os salários pagos até a data em 2020 e / ou uma extensão das condições de pagamento para o restante de 2020, juntamente com uma isenção temporária de impostos sobre notas de banco e outras taxas impostas pelo governo

“O tráfego de passageiros parou e os fluxos de receita foram exauridos. Mesmo que houvesse demanda por viagens, as restrições do governo o tornariam impossível de operar. Nenhum corte de custos salvará as companhias aéreas de uma crise de liquidez iminente e severa. Os governos devem agir imediatamente “, disse De Juniac.

Alguns governos já concordaram em medidas que permitem as companhias a estabilizarem sua liquidez, como:

  • A Noruega ofereceu US $ 537 milhões em garantias de empréstimos.
  • A Finlândia concordou provisoriamente em fornecer uma garantia estatal de até US $ 642 milhões (EUA).
  • Dubai anunciou um estímulo econômico para o setor de turismo e hospitalidade de 400 milhões de dólares (EUA).
  • Cingapura oferece um pacote especial para o setor de aviação no valor de 80 milhões de dólares (EUA)
  • O Brasil anunciou medidas de alívio específicas para o transporte aéreo, incluindo o adiamento de taxas e impostos.

A Iata ainda deixa claro como o setor de aviação repercute em toda a economia na América Latina e Caribe, mantendo 7,2 milhões de empregos, processando 4,1 milhões de toneladas de carga aérea, fornecendo conectividade para 385 cidades da região e 160 em outras regiões e contribuindo com US$ 167 bilhões para o PIB da região.

“O Brasil e o Paraguai são exemplos de países onde os governos adotaram medidas iniciais, principalmente focadas no adiamento de pagamentos e na redução ou modificação de impostos. Suas medidas devem inspirar outros governos da região. Nenhum país está imune ao vírus ou aos sérios danos econômicos que está causando. Também devem ser tomadas medidas rápidas e decisivas para garantir a liquidez essencial”, afirmou De Juniac.

Confira a tabela de contribuição da aviação para o PIB, emprego, despesas geradas pelos turistas e valor das exportações, segundo a Iata em união com a Oxford Economics.

País Contribuição da aviação para o PIB do país em% Contribuição da aviação para o PIB do país em bilhões de US $Apoio ao emprego da aviação em número de empregosDespesas turísticas estrangeiras em bilhões em US $Valor das exportações (todos os meios de transporte) em bilhões de US $
Argentina 2.1 12.0 329,000 5.1 71.3
Belice 33.0 0.591 44,200 0.422 1.0
Brasil 1.1 18.8 839,000 5.8 258
Chile 2.8 7 191,000 3.4 79.5
Colombia 2.7 7.5 600,000 4.8 45.7
Costa Rica 9.0 5.0 155,000 3.8 20.0
República Dominicana 12.5 9.0 482,000 7.2 18.9
Ecuador 3.2 3.2 207,000 1.7 21.4
El Salvador 4.0 1.1 116,000 0.872 8.9
Guatemala 1.0 1.1 75,900 1.6 14.0
Honduras 3.0 0.744 100,000 0.700 9.9
México 3.05 37.4 1,400,000 21.3 435.6
Nicaragua 6.0 0.867 130,000 0.841 5.7
Panamá 14.0 8.5 238,000 4.5 26.0
Perú 2.6 5 341,000 3.7 51.3

Deixe uma resposta