ILTM Latin America ressalta a conexão entre bem-estar e negócios

Com o tema “Back to Life”, nona edição do evento reforça as mudanças no comportamento do consumidor de luxo

0
iltm latin america
Simon Mayle, diretor da ILTM Latin America

Reconectar-se com si mesmo, desconectar-se do smartphone. A abertura da versão latino-americana do International Luxury Travel Market (ILTM) destacou o tema que permeia toda a programação de 2019: de volta à vida. A ideia que ganha força no segmento de luxo tem a ver com o conceito de “menos é mais” e nos leva diretamente a um mundo que não menospreza a importância da tecnologia, mas que também começa a se voltar para o que realmente importa.

O jornalista Pedro Andrade fez as vezes de mestre de cerimônias e ressaltou a ligação especial que a indústria de viagens tem com esse momento particular de nossa história. “Viajar é muito mais do que ir do ponto A ao ponto B. É aprender, contribuir, alimentar-se de outras culturas que não apenas te ajudam a crescer. Essas experiências contribuem para transformar a realidade de outras pessoas e para fazer um mundo melhor”, filosofou.

Pedro Andrade fala com a plateia durante abertura da ILTM Latin America, no Tivoli Mofahej

Com passagem por 56 países de todos os cantos do globo, Andrade se define como um cidadão global e acredita que o que nos conecta é muito mais forte do que o que nos separa. “Não importa quem você é, pois todos nós queremos o mesmo: ser ouvidos, entendidos, amados. A tecnologia é maravilhosa, mas é preciso retomar a conexão com a natureza e com o resto da humanidade. Estamos falando de bem-estar, de como tratamos nossa mente, nosso corpo e nossa alma.”

Cifras trilionárias

Mais do que um conceito, o bem-estar se tornou uma indústria. E das mais lucrativas, segundo reforçou Andrea Bisker, consultora de marketing de grandes marcas globais na Stylus e especialista em comportamento do consumidor. “O bem-estar não pode mais ser visto como uma tendência. Ele se tornou uma necessidade, algo essencial na vida moderna”, disse.

Andrea Bisker ressaltou os números e indicou possibilidades para a indústria latino-americana

Dados do Global Welness Institute mostram que essa indústria vale hoje US$ 3.7 trilhões. Apenas em 2017, as viagens focadas em bem-estar movimentaram US$ 34.8 bilhões apenas na América Latina. “É preciso aprender com as marcas de viagem que transformaram tendência em negócio, já que os produtos estão amadurecendo para um cenário muito além das tradicionais saunas e tratamentos de beleza”, alertou.

A especialista citou exemplos impactantes e relativamente simples de serem replicados, baseados em quatro temas: check-in/desligar; elite ativa; viajantes transcendentais; e nossa última chance. “Essas não são as únicas possibilidades, mas se encaixam muito bem no mercado latino-americano de luxo”, explicou.

Um deles é a “Check Out Suite” do Hotel Bellora, na Suíça. Quem se hospeda ali já sabe que o valor da diária estará diretamente ligado ao tempo que passará conectado. A proposta é exatamente dedicar tempo para relaxar e estar com pessoas queridas, longe de smartphones. O “dedo duro” é uma lâmpada especial que muda de cor – de branca a vermelha – de acordo com o tempo on-line.

“A tecnologia inventou problemas que não tínhamos antes e a vida hiperconectada reforça a importância de investir em bem-estar e saúde mental já que, segundo dados da Organização Mundial e Saúde, os distúrbios de ansiedade aumentaram 15% entre 2005 e 2015”, disse.

Andrea ressaltou outras iniciativas como o Therm Laa – um spa onde ficar em silêncio é mandatório – as câmaras de flutuação da Float Park City que restauram a energia mental e as cápsulas de sensibilização da Sensik’s – espaços que usam tecnologia e inteligência artificial para medir os níveis de estresse e criar tratamentos personalizados para relaxamento, podendo ser implantadas em aeroportos, hotéis e até nas classes executivas a bordo de aeronaves.

Aventura nas alturas

Além de facilidades para um verdadeiro detox de tecnologia, a especialista destacou a busca por experiências de aventura como um segmento em franca ascensão.  Esse conceito explica o aumento nas buscas por parques temáticos com atividades radicais e o crescimento do número de adeptos de maratonas e outros esportes. “Eles precisam ter um senso de risco controlado”, resumiu.

Entre os cases, Andrea destacou a Untamed Borders – empresa que oferece viagens sob medida para lugares interessantes e inacessíveis, como Afeganistão e Iraque – e o peruano Skylodge Adventures Suites – hospedagem em cápsulas de vidro que ficam suspensas nas montanhas, com direito a paisagens de tirar o fôlego.

Por último, a especialista explorou o crescimento do perfil de viajantes transcendentais. “Eles têm um desejo por transformação e buscam por oportunidades de crescimento pessoal que podem incluir experiências místicas, curas espirituais e uso de substâncias polêmicas como cannabis e ayahuasca”, revelou. Andrea citou o Travel Unwrapped – projeto que cria viagens personalizadas com base em análise de DNA – e a American Transformational Travel Collection – baseada na construção de roteiros com foco na Jornada do Heroi.

A aplicação e a força que o conceito vem ganhando carrega também uma grande carga de responsabilidade. E é aí que Andrea conecta a tendência chamada de “a última chance”. Ela fala diretamente ao crescente número de viajantes com consciência ecológica e com os deveres dos em relação ao meio ambiente. “Luxo é não ter desperdício. Sustentabilidade e turismo devem andar de mãos dadas”, alertou.

Ela citou o exemplo do incrível Svart Hotel, no norte da Noruega, que abrirá as portas em 2021 como o primeiro empreendimento do ramo de hospitalidade a operar com energia positiva. Em outras palavras, ele produzirá energia geotérmica e solar em níveis muito maiores do que o necessário para consumo no local. Assim, ajudará a proteger o ecossistema frágil do Ártico.

“A mensagem é clara. Temos de assumir nossa responsabilidade em educar a cadeia de produção e consumo para termos um futuro realmente sustentável”, comentou Simon Mayle, diretor da ILTM Latin America, reforçando que essa a nona edição do evento que foi planejado com esse propósito.

Nos próximos três dias, a organização contabilizou 16 mil encontros pré-agendados entre 400 expositores de 65 países do globo e 400 agentes de viagens do segmento de luxo vindos de 14 países latino-americanos.

Fotos: Ana Azevedo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here