Inovação… O que é o que é?

inovação

Pesquisando a palavra “inovar”, encontramos sua origem no latim innovare (renovar, mudar) e, também, na conjugação de in (em) + novus (novo, recente) para caracterizar o feito de “tornar novo algo já pré-concebido” ou “introduzir novidade em algo já pré-existente”.

Para não fomentar confusão, o melhor exemplo que encontrei se refere à comparação da perna de pau – tantas vezes mostrada em filmes de piratas – com a perna mecânica. O conceito de perna artificial já existia na perna de pau; a inovação foi a criação de uma perna robótica. Assim foi introduzida uma nova ideia, renovando e melhorando algo que passou a se tornar obsoleto.

Diferentemente de criar (dar origem a algo que ainda não existe) e de renovar (fazer com que algo possa parecer novo outra vez), o conceito de inovar se constitui em proporcionar uma nova solução (mais prática, eficaz, econômica, coerente, que permita melhor controle, etc.). Ou a concepção de uma nova ideia, sistema, método, mecanismo ou processo para substituir, melhorar, modernizar e facilitar a funcionalidade de outro pré-existente.

Empresas, organizações e instituições procuram constantemente por novas maneiras para inovar a forma de desenvolver e elaborar seus produtos, serviços e/ou propostas em todas as fases ou áreas de atuação – fabricação, produção, distribuição, atendimento, marketing, venda, métodos organizacionais, etc.

Nas áreas de turismo, viagens e eventos, registramos constantes inovações. Das românticas diligências, que caracterizavam uma velha modalidade de transporte, às modernas aeronaves com propulsão a jato; das primeiras hospedarias, em beira de estradas, aos mais luxuosos complexos hoteleiros atuais; das viagens marítimas de antigamente aos mais espetaculares navios de cruzeiro que hoje existem pelo mundo.

A inovação vai mais além, passando por antigos sistemas manuais de reservas, com controles em fichas preenchidas a lápis, às redes computadorizadas conectando milhões de terminais; dos simples procedimentos aeroportuários e de fronteira, aos mais precisos e práticos monitoramentos que supervisionam a entrada e a saída de turistas; das primeiras excursões à criação dos mais sofisticados pacotes turísticos disponíveis para um turismo de massa; etc.

E a coisa não deve parar por aí! Além das viagens domésticas e internacionais, haveremos de usufruir de viagens espaciais, interplanetárias e/ou interestelares. Há quem ousa pensar na possibilidade de teletransporte ou, até, em viagens através do tempo, indo e vindo entre o passado e o futuro, numa vertigem imaginária de dar inveja aos mais criativos filmes de ficção científica.

Afinal, inovar faz parte de um processo inerente ao desenvolvimento e à evolução de nossa espécie.

Imagem de PIRO4D por Pixabay

Deixe uma resposta