Intercâmbios: Austrália chega ao top 3 de destinos

A  Associação das Agências de Intercâmbio (Belta) apresentou hoje (4/5) os dados da “Pesquisa Selo Belta” que mostra como o segmento de intercâmbio se comportou em 2015. A metodologia incluiu o cruzamento de dados de estudos feitos simultaneamente com 135 agências de intercâmbio e com 1.925 estudantes que já participaram ou têm interesse em vivenciar a experiência educacional nos próximos meses.

Houve uma mudança de cenário quanto aos destinos mais procurados. Na pesquisa divulgada pela Belta, em 2013, Canadá, Estados Unidos e Reino Unido figuravam no topo dos três destinos preferidos dos estudantes brasileiros, no estudo atual, Canadá e Estados Unidos se mantiveram como destinos mais procurados, enquanto a Austrália conquistou o 3º lugar. “Foram muitos os aspectos que influenciaram nas escolhas desses países: custo de vida e moedas mais favoráveis, assim como a possibilidade de realizar programas de estudo combinados com o trabalho legalizado”, disse Maura Leão, presidente da Belta.

A média de permanência dos estudantes brasileiros no exterior se mantém de um a três meses e se, na pesquisa anterior, a faixa etária que liderava a busca por educação internacional era dos 18 a 30 anos, nessa é a de 22 a 24 anos, seguida pelo grupo que vai de 25 a 29 anos. Depois aparecem os grupos de 18 a 21 anos e dos 15 aos 17 anos.

Impulso para a carreira

Cursos de idioma continuam sendo os principais produtos comercializados pelas agências de intercâmbio. Os programas de ensino médio (high school), curso de férias para jovens e de idioma com trabalho temporário completam as lista. Para os intercambistas os maiores influenciadores são os amigos, seguidos de sites especializados em viagens educacionais, feiras, família e agências de intercâmbio.

Quem já estudou fora contou que foi motivado pelo interesse em investir em uma formação internacional, poder realizar o sonho de conhecer países e culturas diferentes, aprender ou aprimorar um novo idioma, assim como ter uma experiência de vida internacional capaz de conciliar estudo com trabalho e turismo.

Segundo Maura, os seis tipos de intercâmbio que foram mais mencionados como interessantes pelos futuros estudantes estão relacionados à carreira: curso de idioma com trabalho temporário, curso de idioma, pós-graduação (Mestrado, Doutorado, MBA ou Master), graduação e curso profissionalizante.


Informações: 
www.belta.org.br

 

Equipe de Redação

Deixe uma resposta