Interior da República Tcheca surpreende agentes de viagens

Participantes do megafam da Flot visitaram destinos que ainda não estão no itinerário dos brasileiros
Brno, segunda maior cidade da República Tcheca

“Viajar para a República Tcheca é uma aula de História”, resumiu Eduardo Barbosa, diretor da Flot. A operadora leva um grupo de 76 agentes de viagens para um megafam pelo país no centro da Europa.

Barbosa ressaltou a diversidade e a quantidade de atrações em um território pequeno, especialmente no interior. “Além de Praga o roteiro incluiu cidades que ainda não são tão conhecidas pelo público brasileiro”, ressaltou.

Como Brno – segunda maior cidade da República Tcheca, que oferece uma combinação de arquitetura, gastronomia e cervejarias – Kutná Hora – destino a 30 quilômetros de Praga que ganhou notoriedade no período medieval pela mineração.

LEIA MAIS:Flot aposta na República Tcheca e leva 76 agentes brasileiros ao paísPasseio pelo Rio Moldava dá início ao megafam da Flot na República Tcheca

“Os tchecos são low profile. Eles nunca serão espalhafatosos e o país não faz muito ‘barulho’ em termos de espaço de mídia. Mas saibam que o país tem muitos detalhes e tesouros para serem descobertos”, revelou Luis Fernando Destro, diretor do Turismo Tcheco no Brasil.

Opinião dos agentes

Os participantes entrevistados foram unânimes em ressaltar a oportunidade de conhecer o destino como um importante gatilho para alavancar as vendas. Anna Claudia Mota, da NM Viagens, ressaltou a cultura rica e a gastronomia vasta como diferenciais para apresentar um destino “impactante”.

Sempre vendi Praga, que é um destino muito procurado na agência. A cidade é mesmo belíssima, mas também descobrimos uma oferta importante no interior, com muita história e oportunidades de passeios”, destacou Maria Helena Siufi, da Marconi Turismo. A opinião é compartilhada por Patrícia Guimarães, da GBond. “A viagem é essencial para conhecermos os atrativos e desenvolvermos novos pacotes”, disse.

Andressa Marques, da Almanaque, considera a experiência válida para dar mais propriedade ao vender o destino aos clientes. “O interior é a grande novidade, um outro lado do país, além da capital, Praga, que já é muito procurada”, explicou.

Geraldo Rocha, agente de viagens e presidente da Abav Nacional viaja com a esposa, Iria Rocha. Ele destacou que a maior demanda ainda é para a combinação do destino com outras capitais imperiais – como Viena (Áustria) e Budapeste (Hungria). Ela reforçou a complexidade do roteiro.

“É preciso muita organização para trazer 76 agentes de viagens, eu nunca tinha visto um famtour deste tamanho. Nós, que trabalhamos com grupos, sabemos a dificuldade de formatar um roteiro como esse e esperamos ajudar o turismo do país com a chegada de cada vez mais turistas brasileiros”, disse Iria.

Barbosa reforçou outro diferencial importante do destino. “Apesar de fazer parte do Euro desde 2004, o país segue com a Coroa Tcheca como moeda. Esse é um facilitador, já que o preço acaba sendo mais baixo que em outros países”, finalizou.

Brasilturis viaja a convite da Flot e do Escritório de Turismo da República Tcheca, 
com seguro Affinity e dados móveis Flexiroam

 

1 COMENTÁRIO

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui