Jackson Hole, um destino singular

0

Kent Elliott, Silvia Zupelli, Julie Calder e Sadek Darwiche

Por Camila Lucchesi

Às vésperas do início da temporada de esqui no Hemisfério Norte, uma delegação de Jackson Hole esteve em São Paulo para mostrar os diferenciais do destino que tem atraído cada vez mais a atenção dos brasileiros. Apesar de não divulgarem os números, Julie Calder, diretora de marketing e operações para América Latina, afirmou que o total de turistas do Brasil em Jackson Hole cresceu 30% da temporada 2015/2016 para a de 2016/2017. O País ocupa hoje o quarto lugar entre os emissores internacionais – Austrália, Canadá e Reino Unido compõem o pódio.

Para Kent Elliott, diretor da Câmara de Comércio de Jackson Hole, a popularização do destino tem uma explicação simples: a encantadora diversidade do destino. Morador de Jackson há 40 anos e apaixonado confesso pela terra que escolheu para viver, ele explica que os atrativos locais vão além dos esportes de neve. A começar pela paisagem do vale circundado por montanhas nevadas que deu origem ao nome do local, famoso mundo afora como uma autêntica cowboy city.

Os diferenciais incluem ainda a grande possibilidade de avistar animais como alces e ursos, além de vivenciar experiências na natureza selvagem dos dois parques nacionais que ficam a apenas uma hora de distância: Yellowstone e Grand Teton. O centro de esqui no estado norte-americano de Wyoming também agrada aos que viajam motivados pelo prazer da gula. “Você pode comer um hambúrguer em um dia e, no outro, se deliciar em um restaurante estrelado”, afirma Julie. Elliott reforça, entretanto, que a vocação do destino é oferecer comida saudável, cultivada de forma orgânica. “Os insumos vão direto da fazenda para a mesa”, diz.

Jackson Hole é bem servida de voos e recebe os visitantes no aeroporto que fica a apenas 20 minutos da cidade. Também oferece diversidade em termos de hospedagem, que vai desde a oferta de casas para aluguel até luxuosos hotéis que prezam pela combinação de conforto e privacidade. “Somos muito visitados por celebridades e, por respeito, deixamos que elas vivam. Que se divirtam sem abordagens desnecessárias”, disse Elliot. Uma das novidades em termos de hotelaria é o Hotel Jackson, hotel boutique aberto em 2015 que toma partido da madeira para criar um estilo “velho oeste moderno”, com 58 apartamentos  e localização central.

Se o assunto é esqui, claro que Jackson Hole não deixa a desejar. O centro que é conhecido pelo nível de pistas pretas – as mais difíceis – investiu na ampliação de pistas para esquiadores de nível intermediário e também oferece um amplo terreno para iniciantes. “Atendemos a todos os perfis”, reforça Julie. A temporada 2017-2018 começa em 25 de novembro e segue até 8 de abril.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here