Juntos somos mais fortes: CVBx debatem os rumos do Turismo Global

expo forum global de turismo

Diante de uma crise sanitária global que colocou a economia em estado de alerta, a Expo Fórum Virtual de Turismo Global discutiu os rumos do setor, formas de comunicação, melhorias, mudanças adotadas e o futuro. O evento foi realizado em plataforma online, entre os dias 14 a 18 de setembro, pela Associação Latino-Americana de Conventions e Bureaux, em parceria com o Internacional BVTS Group, e teve 150 destinos expositores.

A cerimônia de abertura reuniu 28 líderes de associações e representantes do turismo mundial, reforçando a necessidade de união para superar o momento.  Quatro salas de conferências – incluindo uma nomeada Sala Unedestinos – Brasil – transmitiram 42 painéis, conferências e workshops, com opção de assistir ao conteúdo em espanhol ou inglês. As rodadas de negócios propostas totalizaram 1.200 encontros, viabilizados pela plataforma do evento.

Para ministrar os debates, a organização trouxe nomes de peso em nível global – como Organização Mundial do Turismo, Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) e Associação Internacional de Empresas Aéreas (Iata) -, além de entidades regionais e locais, todas com o mesmo objetivo: encontrar soluções para os problemas que afligem o trade para reativar a indústria do turismo o quanto antes.

Biossegurança

Adolfo Reyes e Roxana Puente, executivos do WTTC, focaram no tema mais falado nesse período: ações para garantir a biossegurança. Os profissionais destacaram o monitoramento global realizado pela entidade em relação à postura dos diversos destinos, bem como os alertas que fazem diante das consequências das escolhas dos governantes.

Também deram ênfase à adoção de selos que atestam a conformidade no combate à covid-19 e reforçaram a necessidade de apoio em incentivos fiscais governamentais e nas políticas de proteção de empregos. A visão mercadológica entrou na pauta do debate, reafirmando o turismo regional como a melhor oportunidade para o reinício das atividades de forma segura.

“Sozinhos vamos mais longe, mas juntos somos mais fortes. Neste momento, precisamos nos unir para acelerar a recuperação do setor como um todo. Cada restrição de nacionalidade e adoção de quarentena gera um impacto, então nós trabalhamos para orientar os destinos sobre essas consequências ”, pontuou Reyes.

Com a campanha #Wear2Care o WTTC incentiva o uso de máscaras faciais para a proteção contra a covid-19 e resgata orientações sobre outras medidas que a população pode tomar para se proteger do contágio e evitar a disseminação da doença.

Tecnologia, futuro e negócios

Pensando à frente, o case “Novos Tempo, Novos Eventos” exibiu uma simulação de diferentes formatos de eventos para a aplicação prática dos protocolos sanitários de prevenção do covid-19, afim de capacitar os profissionais do setor, identificar ajustes necessários e motivar a indústria.

Toni Sando, Vaniza Schuler e Keila Moreira

O projeto foi desenvolvido pela brasileira Vaniza Schuler, consultora técnica da União Nacional de Convention & Visitors Bureaux e Entidades de Destinos (Unedestinos). A apresentação teve a participação de Keila Moreira, assessora de diretoria na Unedestinos, e Toni Sando, que acumula a presidência da Unedestinos e a vice-presidência da Associação Latino-Americana de Conventions e Bureaux, organizadora do evento.

“Para outros setores, o fator determinante é a capacidade. Em um supermercado, eu tenho certeza que não circula somente de 100 a 300 pessoas. Então, por que um shopping é mensurado pela sua capacidade e nós pelo número de participantes? Tudo isso pode ser resolvido com logística. Os treinamentos surgiram como uma forma de provar que os eventos são um ambiente seguro”, pontua Vaniza.

Sando reforçou o compromisso da entidade – formada por um  grupo de 45 CVBx nacionais que representam 300 cidades e têm 10 mil associados – e incentivou a readaptação ao atual cenário. “Todos somos responsáveis pela nossa vida e pela vida do próximo, por isso  é importante que retornemos aos eventos de forma segura e organizada. Tudo pode acontecer novamente e não precisamos de um novo mundo, nós já estamos nele. O que precisamos é saber como enfrentar os desafios com segurança e otimismo”, defendeu.

Tendências se confirmam

Ian Yeoman, professor da Universidade Victoria, em Wellington (Nova Zelândia), afirmou que destinos litorâneos e tradicionais permanecerão entre as preferências dos viajantes. Uma pesquisa realizada com os participantes, durante a palestra, constatou que 50% esperam que os destinos invistam em ações para beneficiar o meio ambiente. Outros 38% dos respondentes acreditam que este investimento será em tecnologia.

Kit Lykketoft, diretora do Convention Wonderful Copenhagen (Dinamarca) integrou o painel e defendeu que as megatendências – sejam elas econômicas, políticas, demográficas e tecnológicas – resultarão em quatro perfis distintos para os eventos: adaptação acelerada (semelhante ao cenário pré-pandemia), catalisador (com apostas conjuntas em uma mesma estratégia de mercado); regional (cada profissional investe em seu segmento e toma os especialistas como base); e selvagem (com mais rivalidade, inovação, disrupção e independência).

“Devemos estar atualizados, pois teremos um futuro que terá os modais híbrido e digital e esperamos que haja responsabilidade social e econômica. Primeiro, temos de nos recuperar e reconstruir essa indústria. Devemos ter padrões que nos possibilitem o desenvolvimento sustentável, ao mesmo tempo em que teremos uma tendência maior para a combinação de viagens de negócios e lazer”, enfatizou.

Transparência na comunicação

Participante de um painel sobre gestão de crises, Rafael Hernandez, CEO do Grupo Latinamerica Meetings, frisou a responsabilidade na promoção de eventos presenciais e destacou a relevância da transparência na comunicação entre empresas, clientes e fornecedores. “Estamos passando por uma crise e a comunicação é uma ferramenta para estabelecer conexão. Por que fingir que está tudo bem? Estamos todos passando pelo mesmo momento, e sem comunicação, como podemos nos ajudar?”, defende.

Além da capacitação profissional oferecida por meio de cursos online, webinars e lives, o turismo acessível teve destaque na fala de Betina Anzilutti, CEO da Noun Eventos & Capacitação Executiva. Apresentando um layout para a disposição de móveis, tipos de pisos, cores, sinalização, altura de balcões, aparatos de segurança e rampas, a profissional instigou o mercado a pensar na inclusão de pessoas com diferentes necessidades, permitindo assim, a democratização das experiências turísticas.

Outra oportunidade mapeada no evento foi o investimento em viagens de incentivo.Pensadas para funcionários, fornecedores e clientes, as viagens de incentivo impactam tanto no lucro (22%), fidelidade dos clientes (10%), diminuição na rotatividade de equipe (65%) quanto no aumento do Retorno Sobre o Investimento (ROI) e nas vendas.

Alejandro Verzoub, presidente da AV Business, explica que a modalidade começa pela estratégia de cria uma campanha de engajamento dentro das empresas. “Os programas servem para impulsionar as economias das empresas, para que os contemplados estejam mais motivados. São verdadeiros disparadores de vendas, de qualidade, de lealdade e de equipe mais motivada e comprometida”, destaca.

De acordo com Fernando Compean, presidente da Site Capítulo México e diretor geral do Meetings & Events Institute, o conhecimento sobre os contemplados com a bonificação e informações sobre o destino são necessários, já que o investimento médio gira entorno de US$ 8 mil por pessoa. “Comparado com outros tipos de bonificações, vale a pena, pois é uma forma única de premiar com experiência. O planejamento pode ser feito em um curto período, com resultados que serão apresentados em curto ou médio prazo”, finaliza Compean.

“Conseguimos mais de 2.200 participantes inscritos no evento. Não tínhamos parâmetros de comparação e superamos nossas expectativas. É muito importante que todos os líderes participantes transmitam uma mensagem única em busca da reativação dos destinos latino-americanos e da proteção dos postos de emprego gerados pelo turismo em nível global”, finaliza Silvana Biagiotti, presidente da Associação Latino-Americana de Conventions e Bureaux.

Deixe uma resposta