Latitude: mar ou oceano; longitude: belezas infinitas

0

Ilhas, arquipélagos, atóis, recifes de corais… Muitas são as denominações para pedaços de terra que nos fazem sonhar. Podem fazer parte de um país (San Andrés, Mykonos, Madeira, Capri, Hvar) ou ser um País inteiro (Sri Lanka, Santa Lúcia); podem ser solitárias no meio do oceano ou aparecer em grupos (Maldivas, Polinésia Francesa, Fiji, Havaí).

São perfeitas para uma romântica lua de mel, uma aventura com amigos ou simplesmente para fugir do caos urbano. Algumas são selvagens e encantam pela sua beleza natural (Seychelles, Maurício) outras mais habitadas e repletas de badalações (Ibiza). Mas todas, hoje em dia, são desejos de consumo para muitos viajantes.

A última Travelweek by ILTM em São Paulo reservou um espaço totalmente voltado para elas: Islands & Resorts. É impressionante o número de redes hoteleiras que está investindo em novas propriedades em ilhas diversas.

Só nas Maldivas, Moosa Zameer, ministro do Turismo, anunciou para 2017 nada menos que vinte novos resorts. Em cinco anos, serão cinquenta aberturas. Não podemos esquecer que nesse arquipélago cada resort está em uma ilha particular.

Para citar alguns já abertos: St Regis Maldives (em Dhaalu atoll Vommuli), Dhigufaru Island Resort (em Baa atoll Dhigufaruvinagandu), Four Seasons Voavah (em Baa atoll Voavah) e Soneva Jani (em Noonu atoll Medhufaru).  Nesse universo, imperam o luxo e a excelência no serviço.

Para atender a todos os clientes exigentes, os empreendimentos têm um sem-número de funcionários de várias nacionalidades. Algumas grandes redes possuem até a sua própria escola para treinamento de colaboradores.

Com esse número de novas propriedades, o mercado necessita de uma grande demanda de pessoas capacitadas e que falem idiomas. Assim, muitos destes hotéis oferecem empregos de todos os tipos – existem até sites especializados como o www.job-maldives.com.

No Brasil, a mais cobiçada é Fernando de Noronha. Uma preciosidade em termos de natureza que, felizmente, vem sendo conservada graças à Taxa de Preservação. A obrigatoriedade de pagamento limita consideravelmente o número de pessoas no arquipélago pernambucano. Mas ainda faltam por lá boas estruturas hoteleiras e investimento em serviços.

Para o agente de viagens, é impossível estar por dentro de todas as novidades do mercado mundial de turismo. Mas, nesse assunto específico, existem algumas ferramentas valiosas, como o sempre atualizado www.islands.com. O site é uma boa dica para estar em dia com inaugurações e promoções em todas as ilhas espalhadas pelo mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here