Líderes debatem cenário hoteleiro em painel realizado no 61º Conotel 2019

Durante o painel, participantes abordaram temas como tecnologias, inovação, tendências, ações e projetos e expectativas a médio e longo prazo

0
Bob Santos, secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo; Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional; Vanessa Morales, presidente da ABIH-GO; e Waldir Miguel, presidente do grupo Nacional Inn

Goiânia/GO – Durante a tarde da última quinta-feira (9), Manoel Linhares, presidente da ABIH Nacional; Vanessa Morales, presidente da ABIH Goiás; Bob Santos, secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo; e Waldir Miguel, presidente da rede Nacional Inn, debateram sobre as expectativas e anseios do cenário hoteleiro. O painel foi realizado durante o Conotel, que termina na noite desta sexta-feira (10), no Centro de Convenções Goiânia, em Goiás.

Para Linhares, por exemplo, a hotelaria sofreu muito desgaste por conta das atualizações tecnológicas e das advindas plataformas online de hospedagem compartilhada. “O mercado gera emprego não só de forma direta. A partir do momento que se compra um terreno e começa a se construir nele, já se deixa dinheiro na imobiliária. Proporcionamos segurança e pagamos taxas tributárias para a casa ao lado alugar um quarto”, destaca o profissional.

Ainda nesta linha de pensamento, o presidente da ABIH Nacional fala sobre o programa de ficha de check-in por meio de imagem, realizado em parceria com o Ministério do Turismo. “Com esse novo check-in, vamos dar mais segurança aos hóspedes. Será possível, por exemplo, saber se há algum problema fiscal ou se algo de errado já foi feito. Isso é o que eu quero: proporcionar segurança à hotelaria goiana”, exemplifica.


LEIA MAIS:
+ Bob Santos assume aposta no internacional e alerta “hotelaria precisa se preparar”
+ Manoel Linhares: “Chega de perguntar o que fazer, e sim questionar como fazer”
+ Alexandre Sampaio: “Somos a favor de não mexer no Sistema S”
Manoel Linhares se atenta às tecnologias e às dificuldade geradas por aplicativos de compartilhamento

Assim como Linhares, Miguel aproveita para dar seu parecer sobre as tecnologias, que devem fazer parte da pauta dos empreendimentos, e ressalta os investimentos contínuos que são realizados em meios de hospedagens, bem como impostos que são pagos por essas empresas para que aplicativos ocupem uma parcela do mercado. Além disso, declara que sente falta de apoio governamental e divulgação turística do estado.

“Não tem cidade que não tenha cerca de 15 empreendimentos hoteleiros à venda por questões financeiras. Temos sentido falta, nos últimos anos, do apoio da Embratur nesse compromisso de participar com os hoteleiros. É pouca a divulgação turística do Brasil por um todo. Só se mostra Nordeste”, desabafa o profissional.

Santos aproveitou para abordar o atual setor aéreo, afirmando que venda de bagagem e uma maior liberdade de concorrência possam gerar, efetivamente, passagens mais baratas. Outro ponto comentado foi a reestruturação que está sendo realizada no Ministério de Turismo, que, agora, conta com cinco pilares: estruturar, qualificar, promover, assegurar e inovar.


LEIA TAMBÉM:
+ ABIH dá início ao 61º Conotel em Goiânia (GO) com líderes do mercado
+ Gramado é definida como sede do Conotel/Equipotel 2021 
+ Conotel promove roadshows de lançamento em Rio Branco, Curitiba e Salvador

“Nós asseguramos por meio da segurança e, por isso, criamos o Sistema Nacional de Segurança Turística. Já para a inovação desenvolvemos a Secretaria de Inovação e Tecnologia. Então, a cada dia estamos lançando alguma coisa diferente. O Brasil está a alguns passos atrás e temos buscado trabalhar isso com uso e estudo de dados e métricas. Vamos dar uma revirada nesse assunto”, declara o secretario, entrevistado pelo Brasilturis Jornal e contou com mais detalhes alguns projetos e ações que estão sendo realizados. 

Já Vanessa contou como pretende gerar fomento para o estado, contando, por exemplo, com a necessidade de entender qual o perfil atual do público e as principais demandas existente em Goiás, que conta com cerca de 1,2 mil hotéis, representando um montante de 61 mil leitos.

Bob Santos reforça ações e projetos que vêm sendo desenvolvidos pelo Ministério do turismo

“Insistimos na redução do Imposto Sobre Serviço (ISS) para que consigamos trazer mais eventos. Estamos passando por uma série de dificuldades e, como destinos de negócios, a gente perde muito eventos. Por isso, buscamos mostrar que a redução do ISS em união com uma maior fiscalização vai gerar uma arrecadação ainda maior. Precisamos de evento e estamos prontos para recebê-los”, comenta a profissional, que não esquece de ressaltar que a entidade mantém seus investimentos em capacitação e treinamentos para sempre deixar os profissionais informados sobre novidades e tendências.

Além disso, a executiva se orgulha da parceria realizada com o Sistema S, que resultou na Escola de Gastronomia e Hotelaria em Goiânia. “Essa é só a primeira. Em breve, isso irá se expandir para demais regiões do estado. A gente está antenado e esperando que mais hóspedes cheguem a nós. Para isso temos que proporcionar uma excelente experiência aos hóspedes, servindo o que vai além de nossa obrigação”, finaliza.

Representante do Brasilturis Jornal viaja a convite da ABIH Nacional com seguro Affinity


LEIA TAMBÉM:
- Conotel/Equipotel será lançado em Recife, Porto Alegre e Florianópolis
- Conotel 2021 poderá ser realizado no Mato Grosso; confira
- Conotel/Equipotel Regional 2019 é lançado em São Luiz (MA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here