Londres tem invasão de brasileiros

Por: Antonio Euryco

Para quem imaginava uma euforia ainda dominante dos brasileiros por Paris, eís a novidade: Londres esteve em alta no ano passado recebendo 210 mil turistas procedentes do Brasil e que deixaram na capital inglesa mais de 200 milhões de libras esterlinas, em compras e gastos – mais de R$ 625 milhões gastos. 

 

E tem mais: o recorde histórico do ano passado deve prosseguir com a permanência brasileira na lista dos mercados prioritários. As perspectivas para as Olimpíadas que estão chegando são bem otimistas. Tanto que o número de pacotes vendidos  é bem maior do que os Jogos realizados anteriormente em Pequim, segundo as operadoras brasileiras que trabalham com este evento.

 

O aumento do ano passado em relação a 2010 foi de 51%, segundo o Visit Britain, organismo oficial de turismo do governo britânico.  E o que é mais significativo: com média de uma semana na cidade de Londres, o gasto foi de 985 libras, quase R$ 3 mil reais por turista.

 

Outro detalhe dos brasileiros que vão para a capital britância: a tendência é passar 65% do seu tempo em compras de roupas, acessórios e souvenirs ou em pubs e restaurantes,  No índice de gastos com tax free, o Brasil ficou na 9ª posição em março. E nos principais magazines, como a famosa Harrods, valeu o crescimento no aumento de vendas dos últimos seis meses, com um incremento sem precedentes.

 

Artigos eletrônicos, de fotografia, moda, relógios de luxo, cosméticos e malas também são setores  bem procurados, com a procura dos mais recentes produtos e coleções de grifes. Na lista das atividades dos sonhos no Reino Unido, comprar na Harrods aparece em sétimo lugar para brasileiros, conforme pesquisa publicada em documento do Visit Britain.

 

Segundo o órgão, 65% das viagens do Brasil para o Reino Unido são de férias – superando a média mundial, de 39%. O país ocupava a 10º posição na lista de destinos internacionais dos brasileiros em 2010. A previsão era receber 275 mil visitas do Brasil por ano em 2020 – quantidade quase alcançada já em 2011. Para os britânicos, é o mercado de crescimento mais rápido,  ultrapassando China, India e Emirados Árabes. E o aspecto de que há mais clientes do Brasil em sua primeira visita à Inglaterra – e que não deverão ficar nesta única.

 

AE

Deixe uma resposta