Luciane Leite avalia gestão na WTM e adianta planos em Ilhabela

Luciane Leite esteve há quatro anos à frente da gestão da WTM e aceitou o desafio de assumir a secretaria de Turismo de Ilhabela

Luciane Leite
Luciane Leite, secretária de Turismo de Ilhabela

Foram quatro anos à frente da Reed e promovendo a WTM Latin America. No entanto, nesta segunda (18), Luciane Leite, que deixou o cargo e passou o bastão para Simon Mayle, assume oficialmente a secretaria de Turismo de Ilhabela, em São Paulo. A decisão foi tomada após convite de Toninho Colucci, novo prefeito da cidade litorânea.

De acordo com Luciane, em entrevista exclusiva ao Brasilturis Jornal, este processo de passar o bastão é muito emocionante, como dar um filho para um amigo cuidar. “Fiz todas as transições na sexta e apresentei o Simon a toda a equipe. Sei que ele vai cuidar muito bem do evento e do time. Gosto muito dele, é pessoa extremamente competente e experiente”, declara.

Questionada, Luciana fez uma avaliação pessoal e profissional sobre sua passagem pela Reed. Ao seu ver, qualidade foi a palavra de ordem do evento. “Sempre nos preocupamos com a nossa entrega, em dar aquilo o que o cliente esperava. É saber ouvir o mercado e estar conectado com ele. Tivemos, óbvio, grandes desafios e mudanças, mas estávamos tranquilos porque, independente do número de pessoas que frequentava nosso evento, sabíamos a qualidade deste público”, se orgulha.  

Luciane também destacou como cases de sucesso fizeram ela transformar o evento em algo ainda mais completo e abrangente. “A Reed faz parte de um portfólio, que conta com outros grandes eventos. Neles, consegui observar e trazer as melhores práticas, adaptando-os aos nossos clientes, como é o caso do turismo de responsabilidade, o turismo corporativo e o Women In Travel”, cita.

A nova secretário de Turismo de Ilhabela também citou como estar do outro lado foi importante para sua gestão na Reed. Eu trabalhei durante 25 anos no outro lado. Já fui cliente. Foi um crescimento muito grande. Eu era a exigência do outro lado e passei a ser exigência, mas visando atender às demandas dos clientes. É um lugar de aprendizado. Eu não tinha experiência em pegar um evento e organizá-lo de A a Z”, relembra.

Obviamente, deixar a gestão da WTM Latin America não foi uma decisão fácil, sobretudo após tantas alegrias vivenciadas neste período, como cita a profissional. “Foram quatro anos de muita felicidade. É uma empresa série e de valores que combinavam com os meus, que se preocupa com quem trabalha nela, com clientes e fornecedores. A gente se doava para que todos tivessem resultado”, conta.

Luciane Leite: gestão em Ilhabela

Mas afinal, o que fez Luciane Leite deixar o cargo? De acordo com ela, novos desafios alimentam sua gana e fazem seus olhos brilharem. “Sou especialista em desenvolvimento de destinos turísticos. Eu e o prefeito [Toninho Colucci] tínhamos muita parceria desde que eu trabalhava na SPTuris. Já havia esse vínculo. Gosto muito de trabalhar com pessoas que entregam, que realizam, e Colucci é essa pessoa. Sou uma pessoa de sorte”, comenta.

Obviamente, sua chegada veio com alguns adendos. Para que sua gestão fosse efetiva, Luciane exigiu três coisas:

  • Prioridade de governo para com o Turismo.
  • Equipe qualificada
  • Orçamento

“Já conheci a equipe e sei que existe um planejamento, no qual eu vou olhar, avaliar e pôr em prática. Há algumas ações definidas, mas ainda é necessário elencar algumas prioridades. Meu primeiro trabalho, a partir desta segunda, é conhecer Ilhabela do início ao fim. Fazer um verdadeiro diagnóstico”, adianta.

O empresariado, também, é um foco da Luciane. “É um ponto muito forte em Ilhabela. Já trabalhei de forma integrada com este público, venho de uma gestão integrada, que envolve empresários e associações e pretendo continuar trabalhando desta forma. Comecei a ouvir o empresariado e entendo que Ilhabela é mais que sol e praia”, afirma.

Luciane já vem estudando as principais tendências do mercado, principalmente na região e vê, com bons olhos, o futuro do ecoturismo, do turismo náutico e de bem-estar. Além disso, está otimista quanto ao maior fluxo de viajantes regionais. No entanto, reforça que é preciso implementar uma cultura na cidade.

“Cidade que é boa para se viver, é boa para visitar. Um morador tem que cuidar do lugar onde ele vive, virar um fiscal de fato. Não se pode trabalhar um turismo sem educação, é algo básico. Além disso, temos que prestar atenção no meio ambiente, um dos carros-chefes do município”, avalia.

Com a oportunidade de dar um recado final, Luciane Leite deixa claro que há muito trabalho a ser feito, mas que as expectativas são bem positivas. “Conseguiremos resultados com maior rapidez e ter motivos para comemorar com empresários e todos que investem na região. Uma última mensagem? Que Ilhabela seja o seu destino”, conclui.

Deixe uma resposta