Magic Village Resort aposta em operação hoteleira em condomínio de casas em Orlando

Por: Priscila Ferraz

Na tarde de hoje, dia 18, a CND Homes reuniu em São Paulo 50 agentes de viagens e imprensa para celebrar a abertura de reservas do Magic Village Resort, um condomínio de casas em estilo resort em Kissimmee, Orlando, pensado e projetado por brasileiros para brasileiros. Ao todo, serão 180 casas – 50 entregues em fevereiro de 2015 e 120 entregues até o fim do mesmo ano. Amanhã, dia 19, ocorre a abertura oficial das reservas para o público que desejar se hospedar a partir de 1o de março do próximo ano.

 

Localizado a menos de 2 quilômetros do parque-temático Animal Kingdom, da Disney, o empreendimento celebra o estilo de vida luxuoso, com serviços como camareira, concierge (com vendas de ingressos dos parques temáticos), room service, business center, Kids Club, piscina, restaurante, fitness center, Wi-Fi gratuito, duas vagas de estacionamento em cada casa e opções de imóveis com três ou quatro suítes. “Nosso mercado principal é o Brasil. O brasileiro que comprava casas em Orlando precisava de alguém para cuidar do imóvel enquanto não estivesse nos Estados Unidos. Foi então que montou-se uma administradora para tomar conta, também, do custo fixo da casa enquanto essa não está sendo utilizada. Por isso começou uma operação de aluguel, que hoje é muito grande e representa um segmento que vem crescendo muito, principalmente em Orlando, com diversas opções. Nossa empresa tem justamente o foco de fomentar a administração, mas principalmente o aluguel como alternativa de venda”, explicou o gerente-geral, Fabio Cardoso.

 

Hoje a CND Homes possui diversos braços e um deles é o braço incorporadora, que montou um produto com base na experiência de casas e no que o brasileiro procura. “O brasileiro gosta de suítes, banheiros em todos os quartos, então fizemos isso. Outro problema era relativo aos detalhes de cada imóvel, o que dificultava a escolha do cliente. Pensando nisso, montamos casas iguais, todas padrão. Além disso, o mercado brasileiro preza muito a limpeza, enquanto o americano não possui empregada em suas casas. Assim, incluímos um serviço de limpeza diário. Começamos a fazer uma série de ajustes no projeto, para que ele ficasse com essa cara e identificamos a possibilidade de foco no segmento de luxo, que é muito pouco explorado na região”, disse o executivo. “O conceito luxuoso traz o serviço personalizado. Então, no Magic Village, teremos o serviço de levar as malas dos clientes para a casa e para o segundo andar, comida de chef em casa, bolo, brigadeiro e balões no aniversário, entrega de choppeira e picanha nas churrasqueiras das casas e outra série de detalhes que farão a diferença”, completou.

 

O resort, pensado para os brasileiros, também trará elementos do País em suas ruas, que ganharão nomes como Recife, Brasília e Pantanal. Além disso, funcionários que falam português prometem facilitar a comunicação em todo o processo, do check in e estadia à volta para o Brasil.

 

As 180 casas já possuem proprietários – todos brasileiros – e seu aluguel, com preços tabelados já em contrato com os donos, intermediados pelas operadoras, como Trade Tours, Trend, Agaxtur, entre outras. “Apesar de termos um site, como todos os hotéis, que explica o que é e possui fotos, pelas operadoras e agentes de viagens o consumidor tem vantagem, porque quase todos eles fazem parcelado e oferecem a hospedagem nas casas muitas vezes com pacotes prontos”, afirmou. Questionado sobre a importância do profissional de Turismo para o segmento, Cardoso considerou fundamental, visto o crescimento da venda via agente de viagens. “Antes nossas vendas eram 100% diretas. Hoje a venda via agente representa 45%. O profissional deve se interessar por esse produto para indicar a seus clientes primeiro porque é uma tendência.O agente, principalmente no mercado de luxo, tem o cliente nas mãos, pois seu perfil gosta de personalização, serviço e atendimento. Eu não vejo esse cliente de luxo entrando na internet e comprando direto. Vejo, sim, comprando com o agente, que se dedica a esse trabalho, faz o itinerário e se preocupa com todos os detalhes. E o Magic Village é tendência e fácil. Vemos as pessoas querendo saber detalhes, querendo ver fotos, então apresentamos a facilidade de casas padrão. Assim, acho que para o agente, o empreendimento vem de encontro a uma demanda que existe e que eles vão conseguir atender facilmente. É um casamento de sucesso”, apostou.


Públicos de interesse

 

O Magic Village Resort enxerga no brasileiro seu público número um, apesar de ter foco também na Argentina, Chile, Colômbia, México, Canadá e Estados Unidos. Na Europa também possui acordos com operadores, principalmente na Inglaterra, que constitui um mercado que viaja muito ao destino e se hospeda em casas de aluguel.

 

A média de hospedagem dos brasileiros gira em torno de nove dias e o perfil dos clientes são família e quem busca custo-benefício, conforto e a vida em estilo americano. “A partir do momento em que o consumidor precisa de dois apartamentos, vale mais a pena ficar em casas de aluguel, porque o preço da casa é praticamente o mesmo valor de um quarto de hotel, mas tem três apartamentos. A casa facilita muito, ainda mais para quem está com crianças”, aconselhou Cardoso.


Conheça os pacotes

 

Pensado para os brasileiros, existe o pacote que inclui a limpeza diária e, para o restante do público, o pacote sem o serviço.

 

Para o lançamento, mais duas opções serão disponibilizadas: o pacote Be The First (que contempla um primeiro estoque de alimentos e elementos necessários para a casa), e pacote Stay for Good, em parceria com a ONG Orienta Vida – única do mundo licenciada pela Disney (em que, se o cliente ficar dez noites hospedado, a décima noite terá seu valor doado para a instituição).


Magic Village Resort 2

 

O condomínio Magic Village Resort 2, que será lançado já em janeiro de 2015 para vendas, contará com 120 casas e 240 apartamentos e será localizado em um terreno próximo ao primeiro. A previsão de vendas dos imóveis é de 12 meses, a primeira fase será entregue em julho de 2016 e a segunda fase em dezembro do mesmo ano. “Essa é uma oportunidade de investir com um retorno bem acima da média-Brasil e ter um retorno acima de qualquer aplicação financeira que o mercado financeiro hoje oferece. Apesar de atuarmos em diversos mercados, o mais forte é o brasileiro pelo poder de investimento, pela ausência de um retorno tão efetivo e por essa cultura de investimento no mercado imobiliário”, adiantou ao Brasilturis Jornal o responsável pela parte de vendas da incorporadora, Guilherme Lemos.

 

 

Priscila Ferraz de Mello

Priscila Flores Ferraz de Mello
Priscila Flores Ferraz de Mello
Priscila Flores Ferraz de Mello
Priscila Flores Ferraz de Mello

Deixe uma resposta