Malai Manso registra crescimento de 36% na receita em 2019

De acordo com Ricardo Gouveia, diretor comercial do Malai Manso Resort, a expectativa é fechar 2020 com acréscimo de 20% e, pra isso, já conta planos estabelecidos
Laíza Muniz Carvalho, gerente de Marketing, e Ricardo Gouveia, diretor comercial, ambos do Malai Manso (Foto: Felipe Lima)

Chapada dos Guimarães/MT – O Malai Manso Resort, localizado a cerca de uma hora da capital Cuiabá, em Mato Grosso, informou ao Brasilturis Jornal¸ em entrevista exclusiva, que, em 2019, o empreendimento contou com o crescimento de 36% em sua receita, frente a 2018. De acordo com Ricardo Gouveia, diretor comercial do resort, o número é resultado da contínua no mercado primário, ou seja, no próprio estado.

“Os visitantes do Mato Grosso representam 70% dos nossos hóspedes e sentimos que essa aposta é algo que dá certo e, por isso, ano passado decidimos continuar nosso investimento no estado, que é nossa base de sustentação. É um mercado que vem com uma performance significativamente positiva em relação aos demais estados brasileiros”, se orgulha o profissional.

Este ano, a ideia é contar com um crescimento de 20% na receita. Para alcançar esse objetivo, o empreendimento, além de manter a aposta no mercado estadual, visa trabalhar outros mercado.

Segundo Laíza Muniz CarvalhoGerente de Marketing, além das representações já presente em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Brasília, que focam em atração de eventos – principalmente com a ampliação do Centro de Convenções –, mercados como Mato Grosso do Sul, Goiás, Rondônia, Piauí e Pará entram no planejamento do meio de hospedagem.

“Não vamos de deixar de olhar potenciais mercados que não são trabalhados por outros empreendimentos. São estados próximos de Mato Grosso e que trazem resultados. O foco é tornar o Malai Manso um dos principais destinos do estado”, afirma o diretor.

Além dos mercados nacionais, o empreendimento afirma que, por mais que a participação de estrangeiros seja tímida, o mercado boliviano já ganha a atenção do meio de hospedagem, principalmente com o início da operação entre Cuiabá e Santa Cruz de La Sierra operado pela Azul. A previsão ainda é incerta, mesmo que autorização de ambos os países já tenha sido confirmada, por conta da nova gestão do aeroporto, agora pertencente a Centro-Oeste Airport e que luta pela habilitação de receber voos internacionais.

O diretor comercial afirma que os resultados do ano já parecem ser notório. A prova disso é a ocupação do Carnaval, que já passa dos 95% para o período. 

Malai Manso: Consolidação de destino

A ideia do empreendimento é se posicionar como destino. Ao ser questionado pela reportagem sobre a possibilidade de começar a realizar bloqueios aéreos, Gouveia afirma que não pretende trabalhar com essa modalidade e reconhece o apoio já realizado pelas agências de viagens e operadoras.

“A gente entende que essa é uma aposta de muitos empreendimentos que não contam com uma malha aérea tão boa no destino. Esse não é o caso. Cuiabá tem uma boa malha aérea, principalmente por conta do agronegócio, e acreditamos que não cabe a nós fecharmos pacotes. Já temos distribuição em todo o mundo tanto para roteiros fechados quanto só para reservas de hospedagem”, avalia o diretor.

A reportagem viaja a convite do Malai Manso Resort


Leia também:

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui