Mato Grosso do Sul acrescenta 11% ao seu crescimento turístico

Por: Antonio Euryco

CAMPO GRANDE – A primeira edição da Bolsa Internacional de Turismo de Mato Grosso do Sul  começou ontem (25) no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, com um jantar oferecido pelo governo do estado a empresários da iniciativa privada, agentes de viagens, operadores do Brasili e do exterior. Fizeram as honras de receptivo o governador André Puccinelli e a presidente da Fundtur, Nilde Brun, juntamente com a presidenta da Abav-MS, Cristina Albuquerque e o  representante do Sebrae-MS,  Cláudio Jorge Mendonça.

Em seu pronunciamento, o  governador André Puccianelli citou  os pilares da economia do estado, a  produção de carne e os grãos, mas que desde 2007 grandes investimentos vem sendo realizados no sucro energético e na bioenergia, além de um investimento massivo no turismo. Terminou seu discurso dizendo que “o MS é o melhor destino do Brasil” e interpretando um amplo convite para que os operadores internacionais trabalhem este diferenciado produto dentro da diversidade brasileira.

Os esforços do turismo no Mato Grosso do Sul tem correspondido. Segundo  a secretária Nilde Brun, de 2010 para 2011 houve um crescimento de 11%.  Para ela, objetivo  da BIT através da rodada de negócios é apresentar aos buyers as empresas sulmatogrossenses e aproximar compradores e vendedores criando uma relação de maior confiança e bons negócios. Um giro de conhecimento pelos roteiros do estado possibilitará o conhecimento dos destinos equipamentos turísticos, infraestrutura, hotéis e serviços.

São sete roteiros estabelecidos em roteiros: 1 – Pantanal de Miranda com estrada parque; 2- Bonito Aventura; 3- Pantanal e Bonito; 4 – Pesca e Ecoturismo em Corumbá; 5-Bonito e Serra da Bodoquena; 6- a rota Norte e 7- Agrotecnológico Turismo e Grande Dourados.

 Na manhã de  hoje (26 houve  uma reunião entre os secretários de turismo dos estados do Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal e do anfitrião Mato Grosso do Sul. Unificar esforços para a criação de roteiros integrados foi um dos objetivos, também o de avaliação da primeira edição desta BIT e o estudo da idéia para transformar a Bolsa como inter-regional, passando a ser, em 2013, a Bolsa Internacional do Centro-Oeste.  

 A BIT mostrou um contexto de bom aproveitamento. São 38 expositores e 47 buyers da Alemanha, Argentina, Bolivia, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Inglaterra, Itália, Paraguai, Perú, Portugal, Suécia, Uruguai, Rússia e Brasil, com presença internacional destacada e que deverá produzir bons resultados já em sua primeira edição.

 

Marcos Telore

Deixe uma resposta