Ministro do Turismo participa de Congresso sobre a retomada de cruzeiros

A 6ª edição do Congresso Internacional Náutica conta com a presença do ministro do Turismo e busca discutir como o turismo das águas pode ser estratégico para a retomada econômica

Gilson Machado Neto (ministro do Turismo) e Ernani Paciornik (presidente do Grupo Náutica e idealizador do Boat Show)

Com a presença de prefeitos, secretários de estado, agentes públicos e representantes da iniciativa privada, começou nesta quarta-feira (3), a 6ª edição do Congresso Internacional Náutica, realizado pelo Grupo Náutica, no São Paulo Expo em São Paulo.

O evento antecede a abertura oficial do São Paulo Boat Show, maior evento náutico indoor da América Latina que acontece de 4 a 9 de novembro, e busca discutir temas como a despoluição, estratégias e tendências do turismo nacional das águas.

A abertura oficial da temporada de cruzeiros 2021/2022 acontece nesta sexta-feira (5) com a saída do primeiro cruzeiro a navegar em águas brasileiras após as medidas restritivas impostas em virtude da pandemia de covid-19. 

Gilson Machado Neto, ministro do Turismo do Brasil, que participou coletiva de imprensa nesta quinta-feira (4), falou sobre a retomada dos cruzeiros marítimos com os protocolos a serem adotados por passageiros e tripulação, e ainda, sobre a previsão da injeção de R﹩2,5 bilhões na economia já nesta temporada.

Ele esteve acompanhado de, Marco Ferraz, presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia), Adrian Ursilli, presidente da MSC, Dario Rustico, presidente da Costa Cruzeiros, e Ernani Paciornik, presidente do Grupo Náutica e idealizador do Boat Show.

Segundo Gilson Machado Neto, a previsão é de chegar a 390 mil leitos oferecidos nos cruzeiros em 2021. Número que se aproxima da alta de 2019 que resultou no total de 470 mil leitos.

“Faremos da crise uma oportunidade, temos condições de superar a marca de um milhão de hóspedes de cruzeiros. A oferta está maior, estamos fidelizando mais pessoas. Em junho deste ano tínhamos 9 navios, agora já contamos com 12. Esse é o momento certo de falar com as corporações e retomar o turismo náutico”, ressalta o ministro.

Deixe uma resposta