MSC anuncia a construção de mais dois navios movidos a GNL

Plano de expansão da MSC Cruzeiros contempla pesquisa e implementação de tecnologias de baixo impacto ambiental como a energia eólica, a qual está sendo estudada para uso em uma nova categoria de embarcações
MSC
Foto: reprodução.

Nesta segunda-feira (20), a MSC expandiu a parceria comercial com a o Chantiers de l’Atlantique. Um dos projetos anunciados é a construção de mais dois navios movidos a GNL da geração World Class com previsão de entrega para 2025 e 2027.

Os três acordos assinados representam um investimento superior a 6,5 bilhões de euros na economia francesa e fazem parte do plano de expansão da empresa até 2030, além de serem responsáveis pela geração de 2.400 empregos de período integral.

“Estamos muito orgulhosos e felizes por termos construído uma relação tão marcante com a MSC Cruzeiros, baseada na confiança mútua e impulsionada pelo espírito de inovação. Estamos comprometidos em moldar o cruzeiro do futuro e em desenvolver conceitos de navios que vão muito além dos padrões ambientais atuais. Nossas empresas já trabalham juntas há vinte anos e esses novos projetos nos permitem olhar com entusiasmo para o futuro”, afirma Laurent Castaing, gerente geral do Chantiers de l’Atlantique

Em construção no estaleiro Chantiers de l’Atlantique, em Saint-Nazaire, o primeiro navio da frota que agora conta com quatro em construção está com entrega prevista para 2022. O GNL reduz a as emissões de enxofre e particulados em 99%, de NOx em 85% e CO2 em 20%.

“Os três acordos assinados hoje estendem nosso plano de investimentos até 2030. Eles resultam de uma parceria excepcional com Chantiers de l’Atlantique, que já entregou 15 navios de cruzeiro altamente inovadores nas últimas duas décadas e verá muitos outros navios ganharem vida nas docas de Saint-Nazaire nos próximos dez anos“, ressalta Pierfrancesco Vago, presidente executivo da MSC Cruzeiros.

Dois Memorandos de Entendimento (MOU), avaliados em mais de dois bilhões de euros foram assinados na ocasião. Os documentos preveem o desenvolvimento de uma nova classe de navios com tecnologias ambientais para 2030 e 2050. A implementações estarão alinhadas com as diretrizes da Organização Marítima Internacional (IMO).

“Eles também confirmam o compromisso deste setor com a sustentabilidade, ajudando a indústria nacional francesa a se posicionar como líder mundial no desenvolvimento de tecnologias de última geração e outras soluções”, reforça Pierfrancesco.


Leia mais:

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui