MSC prevê intensificação tecnológica para melhorar experiência a bordo

Relatório criado em parceria com a The Future Laboratory aponta novos gadgets sensíveis ao comportamento humano para personalizar experiência e intensificar o conforto nos cruzeiros
Ocean Cay MSC Marine. Foto: reprodução.

Na última quinta-feira (9), a MSC lançou o relatório Futuro da Experiência do Hóspede, o qual aponta tendências para a experiência do usuário. Dentre elas, a implantação de entretenimento 5D, ultra-alta definição (UHD), assistência artificial e o uso de ID Wallets.

“Um dos desafios da indústria de cruzeiros é que precisamos projetar e construir novos navios que ainda serão inovadores para nossos hóspedes daqui 30 anos. Portanto, as tendências de inovação e consumo estão no centro do nosso DNA e precisamos ter uma visão forte e clara para o futuro, combinando isso com o estilo atemporal. Por meio de inovação e design inteligentes, com forte compromisso com o turismo sustentável, poderemos viabilizar todos os tipos de experiências futuras”, declara Pierfrancesco Vago, Presidente Executivo da MSC Cruzeiros

O levantamento feito em parceria com o The Future Laboratory, indica que tecnologias como a ZOE, a assistente virtual da companhia serão utilizadas para antecipar as necessidades dos cruzeiristas. Isso só será possível com o uso de sensores biológicos que irão monitorar batimentos cardíacos e expressões faciais dos hóspedes.

As tendências apontam também para o uso de materiais inteligentes que se adaptam as emoções e criam um ambiente imersivo para o usuário. Outro ponto levantado é o Antropo-tainment, que consiste no entretenimento focado no ser humano, e não na tecnologia.

A preocupação com o meio-ambiente fará deste em 2030, um tópico significativo, segundo o documento. “Somos a primeira empresa de cruzeiros a tornar-se carbono neutro em nossas operações marítimas e a ênfase que colocamos em nosso compromisso com o meio ambiente é impulsionada não apenas por nossa paixão pessoal em proteger os oceanos, mas também pela necessidade de oferecer aos nossos hóspedes uma maneira sustentável de viajar”, ressalta Pierfrancesco.

O relatório prevê ainda, o crescimento de ilhas privativas restauradas e transformadas em destinos turísticos, como a Ocean Cay MSC Marine Reserve, nas Bahamas. O ambiente que antes era local de extração de areia, terá um bio-centro para realizar pesquisas críticas sobre a saúde e restauração de corais em parceria acadêmica com a Universidade das Bahamas.


Leia mais:
MSC World Cruise 2020 ressalta gastronomia em 117 dias de viagens
Viva Cruises: um modo totalmente diferente de cruzeiros fluviais
MSC World Cruise 2020 ressalta gastronomia em 117 dias de viagens


 

Deixe uma resposta