MTur organiza revitalização de patrimônios culturais

O Programa Revive, de origem portuguesa, tem como objetivo conservar e valorizar o patrimônio público, de forma a diversificar a oferta turística nacional

0
O Programa Revive foi apresentado em Seminário Internacional do PNTCN, em setembro (Foto - Divulgação)
O Programa Revive foi apresentado em Seminário Internacional do PNTCN, em setembro (Foto - Divulgação)

O Ministério do Turismo (MTur) negocia com o Governo de Portugal a implementação de um projeto de proteção e aproveitamento turístico de imóveis da União com valor arquitetônico, patrimonial, histórico e cultural que não sejam adequadamente explorados.

O Programa Revive, de origem portuguesa, tem como objetivo conservar e valorizar o patrimônio público, de forma a diversificar a oferta turística nacional.

O programa, apresentado durante Seminário Internacional do Programa Nacional de Turismo Cultural e Natural (PNTCN), realizado em setembro no MTur, segue em fase de análise pelos órgãos envolvidos.

O MTur quer divulgar o Programa Revive durante o “Seminário Internacional Patrimônio + Turismo: potencial econômico do Patrimônio em sua dimensão turística” e o sexto Encontro Brasileiro de Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial, que serão realizados entre 23 e 25 de outubro, em Porto Alegre (RS).

O secretário nacional de Integração Interinstitucional do MTur, Bob Santos, adianta que o trabalho será desenvolvido em parceria com a iniciativa privada.


LEIA MAISIsenção de vistos resulta em aumento de turistas estrangeiros, diz MTurMTur e Embratur reforçam investimentos durante fórum na China
+ MTur: Turismo Religioso movimenta milhares de turistas no sábado (12)

“O Brasil possui diversos patrimônios públicos subutilizados, até mesmo depredados, em adiantado estado de degradação. A ideia é trabalhar na recuperação desses imóveis através da realização de investimentos privados, por meio de concessões. Em hipótese alguma a visitação pública será proibida”, explicou Santos.

O programa vai reforçar a atratividade e a competitividade de destinos, além de proporcionar a geração de receitas adicionais. Segundo a coordenadora-geral de Parcerias e Concessões do MTur, Rafaela Lehmann, a adoção do modelo português é estratégica, por já haver metodologia pré-definida, mas as normas serão adequadas à legislação brasileira.

“O Revive é uma metodologia implementada de forma exitosa em Portugal e em alguns países da África. O MTur está trabalhando uma proposta de adequação, seguindo os normativos e institucionalidades daqui do Brasil”, esclareceu.


Leia Também:
– MTur do Brasil e Argentina querem melhor frequência de voos
– Embratur lança ação “Rei do Rolê” para estrangeiros; confira
Embratur participa de fórum de Turismo na China nesta semana

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here