Mudança na política de bagagens pode ajudar a baixar valor do bilhete aéreo

Por Camila Lucchesi, de Brasília (DF)

Presidida por Eduardo Sanovicz, a Associação Brasileira de Empresas Aéreas (Abear) pleiteia junto à Associação Nacional de Aviação Civil (Anac) um conjunto de mudanças para criação de similaridade das políticas nacionais – criadas na década de 1980 – com as atuais regras mundiais. Uma das alterações propostas está relacionada a bagagens despachadas nos voos, alteração que pode reduzir o valor do bilhete aéreo em território brasileiro.

“Hoje, aproximadamente 65% dos passageiros que usam avião viajam sem bagagem ou com apenas uma pequena bagagem de mão. Esse passageiro tem incorporado ao custo do seu bilhete algo em torno de R$ 9 porque está arcando com o custo daquele que viaja com até 23 quilos despachados. A experiência mostrou que se destacamos o preço da bagagem, a gente sobe mais um degrau na construção de preços mais competitivos. Isso ajuda a desenvolver o modal aéreo e aumenta a possibilidade de atender mais passageiros em mais destinos”, pontuou Sanovicz.

O executivo espera um posicionamento da Anac ainda neste mês de novembro.

Deixe uma resposta