Newcastle: Inglaterra além do óbvio

0

Texto e fotos: Camila Lucchesi

Jovem e vibrante, Newcastle é uma grata surpresa para quem deseja conhecer um lado menos óbvio da Inglaterra. A pontualidade e a polidez tipicamente britânicas estão por lá, mas a presença da Newcastle University traz para esse município a 400 quilômetros de Londres um ar descolado que complementa a arquitetura repleta de prédios históricos.

Reserve ao menos dois dias inteiros para conhecer as atrações da capital cultural do nordeste inglês. Uma boa forma de iniciar é embarcar no walking tour de duas horas promovido pela Northern Secrets, empresa especializada em roteiros personalizados por todo o norte da Grã Bretanha.

Novo castelo

Newcastle também pode ser chamada de Newcastle Gateshead (pela conurbação com o município vizinho) ou Newcastle upon Tyne (em referência ao rio que corta a cidade). Os primeiros registros datam do século II. Quase mil anos se passaram até que Robert Curthose – Duque da Normandia e filho mais velho do rei Guilherme, O Conquistador – chegou à região para defender o norte do reino da Inglaterra contra as constantes investidas dos escoceses.

Ele decidiu fixar-se na cidade e construir ali um novo castelo às margens do rio Tyne, o que originou o nome Newcastle. Quando Henry II foi corado rei da Inglaterra, em 1154, decidiu reforçar a estrutura com a adição da Guarda do Castelo (The Castle Keep), concluída em 1178 e aberta à visitação.

Outro ponto emblemático é o Black Gate, erguido por volta de 1250, para servir como defesa do castelo. Se antes a estrutura mantinha os invasores a uma distância segura, hoje o propósito é servir de entrada já que é lá que funciona o centro de visitantes. Depois de conhecer a estrutura, vale subir ao topo do castelo para admirar a vista panorâmica da cidade, com destaque para as pontes históricas.

A área guarda sete pontes que atravessam o Tyne e contam mais de 100 anos de história. Uma das mais emblemáticas é a Millennium Bridge, a primeira e única inclinada do mundo. Por ali, também chama atenção a construção futurista do Sage Gateshead, centro internacional dedicado à música, construído pelo renomado arquiteto Sir Norman Foster. Na margem sul do rio, funciona outra joia da cidade: o Baltic, centro de arte contemporânea. (continua abaixo da galeria)

Grainger Town

O bairro georgiano da cidade tem o Grainger Market como peça central. Construído em 1830, o que já foi considerado o maior mercado coberto da Europa abriga uma variedade imensa de lojas de artesanato e de roupas, peixarias, quitandas e açougues. Na busca pelos melhores atrativos, oriente-se pelo Grey’s Monument, estrutura de 40 metros de altura construída na mesma época para homenagear o então primeiro-ministro Charles Grey.

Bem em frente ao monumento começa a Grey Street, endereço do Theatre Royal, de arquitetura imponente e sede local do National Theatre. Inaugurado em 1837, o teatro teve toda a parte interna consumida pelo fogo em 1889 que manteve a fachada intacta. Foi reaberto em 1901, remodelado na década de 1980 e hoje é um dos mais importantes do gênero em toda a Inglaterra.

Quem não dispensa uma boa compra deve dedicar atenção especial a essa área, onde é possível encontrar desde lojas de marcas internacionais até pequenas boutiques independentes. Durante o passeio, a dica é sempre olhar para cima para conferir a arquitetura georgiana em arenito.

Apaixonados por livros têm um motivo a mais para conhecer Newcastle. É lá, bem ao lado da estação central, que funciona a Lit & Phill, biblioteca pública que tem muita história para contar – e não apenas pelos 160 mil livros que compõem o acervo. O prédio foi aberto em 1825 para funcionar também como ponto de encontro para a Sociedade Literária e Filosófica de Newcastle, criada em 1793 e considerada um dos grupos de estudos mais antigos do país.

Experiências gastronômicas

Pratos tradicionais da culinária britânica servidos em um ambiente com séculos de história. Essa é a proposta do restaurante Blackfriars, localizado em um convento medieval do século 13 e considerado o número 1 da cidade. Ao lado do restaurante principal para até 72 comensais há um ambiente meticulosamente restaurado para permanecer como era nos idos de 1300.

Candelabros, vitrais e grandes mesas de carvalho compõem o ambiente com paredes de pedra e recebe até 50 convidados, sendo perfeito para eventos corporativos, casamentos e degustações. O complexo inclui ainda um bar e um espaço dedicado a oficinas culinárias e pequenos eventos para até 12 pessoas.

Masterclass de gin é um dos trunfos do The Botanic

O contraponto – também imperdível – é o The Botanist. O local tem conceito mais moderno, instalado em um amplo espaço decorado como se fosse um grande jardim. Além de pratos elaborados com requinte, o restaurante no centro da cidade oferece uma deliciosa degustação de gin, conduzida por especialistas, que passeia pela história da bebida favorita dos britânicos.

Acredite: Há preparados muito mais ricos do que gin tônica. Especialistas dão uma verdadeira aula sobre a origem da bebida e ensinam a identificar os sabores únicos de cada garrafa. As sessões duram 90 minutos e são ideais para grupos de seis a 12 interessados, ao custo de £25 (cerca de R$ 125) por pessoa. Por fim, a degustação é liberada.

Rumo ao norte

Newcastle-Gateshead sedia, até 9 de setembro deste ano, a Great Exhibition of the North (Grande Exposição do Norte, em tradução livre). O evento foi iniciado em 22 de junho e tem como mote celebrar a arte, a cultura, o design e a inovação do norte da Inglaterra. As atividades acontecem em 30 locais espalhados pelas duas cidades, com três rotas que conectam os atrativos (Trilha da Inovação, da Arte e do Design).

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Newcastle fica no norte da Inglaterra, a 400 quilômetros de Londres e a 195 quilômetros de Glasgow, na Escócia. A cidade de 268 mil habitantes se conecta facilmente a outros pontos do Reino Unido e da Europa por via aérea, rodoviária e por uma eficiente rede ferroviária.  www.newcastlegateshead.com

Moeda: Libra esterlina.

Câmbio: £$/ 1 = R$ 4,88 (cotação de 25/07/2018).

Gorjeta: A maioria dos restaurantes e bares inclui uma taxa de serviço opcional de aproximadamente 15% sobre o valor da conta, descrita como “discretionary”.

Clima: O verão é ameno; o inverno é longo e muito frio. A temperatura média anual varia de 2° C a 19 °C.

Fuso horário: Os relógios em Newcastle estão 4 horas à frente em relação ao horário de Brasília (DF).

Documentação: Passaporte com pelo menos seis meses de validade.

Visto: Não é necessário para viagens de até 180 dias.

HOSPEDAGEM

Hotel Indigo A bandeira moderninha da IHG fica muito bem localizada, a uma curta caminhada da estação ferroviária Grainger Market. Ao lado do aconchegante lobby funciona o Grainger Lounge com bar e restaurante do estrelado chef Marco Pierre White. Os apartamentos são confortáveis e oferecem todas as facilidades de praxe. (Viagem a convite do Visit Britain com seguro Affinity)

Reportagem originalmente publicada no Brasilturis 815 (agosto/2018).

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here